Qual será o destino do cosmódromo marítimo aos olhos do magnata russo espacial?

© AP Photo / Sea LaunchO cosmódromo flutuante Sea Launch durante lançamento do foguete portador Zenit-3SL (foto de arquivo)
O cosmódromo flutuante Sea Launch durante lançamento do foguete portador Zenit-3SL (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Em setembro, a companhia aérea russa S7 Group assinou acordo sobre a compra do cosmódromo flutuante Sea Launch. O contrato causou alvoroço na Rússia: alguns elogiaram a visão audaz do diretor da companhia, enquanto outros criticaram a compra dos ativos "congelados". Mas ninguém acertou por completo, assegurou a revista Popmech.

Segundo a edição, amigos e sócios de Vladislav Filyov, chefe da S7, descrerem-no como um empresário escrupuloso que sempre calcula riscos.

Além do mais, o novo proprietário está longe de não possuir ligações com a indústria espacial: é formado pela Academia Militar Espacial de Mojaisk e serviu oito anos nas Tropas de Mísseis de Designação Estratégica como engenheiro militar.

"Um cosmódromo flutuante é uma ideia genial para a Rússia, já que não temos solos na linha do equador para construção do mesmo", explicou Filyov.

​O empresário se refere às vantagens de lançamento da linha do equador: usando a rotação da Terra ao seu favor, foguetes portadores podem levar cargas mais pesadas.

A história do Sea Launch

A criação do cosmódromo flutuante é uma maravilha e comprova a superação de vários problemas de caráter tanto tecnológico como político. As partes fundadoras do projeto são Rússia, EUA, Ucrânia e Noruega.

Soyuz MS-06, impulsionada pelo foguete Soyuz-FG, decolou do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão - Sputnik Brasil
Nave espacial tripulada Soyuz MS-06 decolou com sucesso de Baikonur (VÍDEO)
Os investimentos no projeto atingiram uns 3,5 bilhões de dólares (R$ 11,4 bilhões). No entanto, o projeto falhou no quesito rentabilidade, entrando em colapso em 2009. Depois de alguns anos, mais especificamente entre 2016 e 2017, a empresa russa Energia vendeu as instalações à S7 de Filyov.

Filyov se mostra otimista em relação ao projeto apesar das relações complicadas russo-ucranianas. "Espero que seja uma área de cooperação", afirmou ele.

Atualmente, a S7 Group assinou acordos separados com a empresa russa Roscosmos e a ucraniana Yuzhnoye para renovar a produção de componentes para foguetes Zenit, pois Sea Launch é um serviço que usa plataforma marítima especializada em foguetes Zenit-3SL.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала