EUA investigarão envolvimento da Ucrânia na entrega de componentes de mísseis a Pyongyang

Nos siga noTelegram
O Congresso dos EUA planeja abrir investigação sobre o envolvimento da Ucrânia no fornecimento de componentes de mísseis balísticos para a Coreia do Norte.

Imagem do Hwasong-14, míssil que a Coreia do Norte afirma ser de longo alcance (intercontinental), em teste realizado em 4 de julho de 2017 - Sputnik Brasil
EUA: Coreia do Norte pode alcançar Califórnia com seus mísseis
O projeto de lei correspondente foi publicado no site oficial do Congresso norte-americano. 

O projeto foi enviado a dois comitês dos EUA, das Relações Exteriores e de Inteligência. Caso seja aprovado, será investigado o possível envolvimento da Ucrânia no fornecimento de peças de mísseis a Pyongyang.

No texto do projeto de lei são ressaltados os êxitos da Coreia do Norte em seu programa nuclear.

"Durante os últimos dois anos, o programa de míssil da Coreia do Norte progrediu bastante […] De acordo com o Instituto Internacional para Estudos Estratégicos, Pyongyang poderia ter atingido tal sucesso comprando o motor de combustível líquido de uma fonte estrangeira, provavelmente, da Ucrânia", assinalam os autores do projeto de lei.

Militares norte-coreanas durante a parada militar em homenagem ao 60º aniversário do fim da Guerra da Coreia, 2013 - Sputnik Brasil
'Vamos todos morrer': EUA avaliam baixas em uma possível guerra com Coreia do Norte
Principalmente, trata-se de mísseis norte-coreanos de médio alcance, Hwasong-12, e do míssil balístico intercontinental, Hwasong-14. 

De acordo com o projeto de lei, os motores (da família RD-250) teriam sido modificados para ser utilizados como força impulsionadora nos Hwasong-12 e Hwasong-14. 

"Estes motores [da família RD-250] estão ligados à fábrica de mísseis situada na cidade ucraniana de Dnipro, que vem enfrentando dificuldades financeiras na última década", frisaram os autores do projeto de lei.

Anteriormente, o jornal The New York Times, citando dados secretos da inteligência norte-americana e a investigação do especialista do Instituto Internacional para Estudos Estratégicos, Michael Elleman, apontou ser possível que a Coreia do Norte tenha recebido motores de mísseis produzidos pela fábrica ucraniana Yuzhmash. Contudo, as autoridades da Ucrânia, bem como a própria fábrica, desmentiram qualquer participação nas transações.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала