'Há mais vida para além das sanções'

© Sputnik / Evgenia Novozhenina / Abrir o banco de imagensCentro Internacional de Negócios de Moscou Moscow City, Rússia
Centro Internacional de Negócios de Moscou Moscow City, Rússia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Desde 2014, as sanções se tornaram um importante fator de agravamento das relações entre a Rússia e a Europa. O embaixador de Portugal na Rússia, Paulo Vizeu Pinheiro, falou com a Sputnik sobre as sanções e a sua influência nas relações bilaterais russo-portuguesas.

Apoiadores da Espanha unida seguram cartaz gigante com bandeiras da Catalunha, Espanha e União Europeia, Barcelona, 29 de outubro de 2017 - Sputnik Brasil
Portugal não acredita que possam ocorrer fraturas na Europa devido à Catalunha
O diplomata não duvida de que as sanções econômicas têm um caráter contraproducente. Em 2014 Portugal estava saindo da crise econômica e financeira e, portanto, as sanções tiveram um efeito multiplicativo para o país. Entretanto, ele sublinhou que as sanções não significam o fim da cooperação bilateral entre Moscou e Lisboa. 

"O que gostaria de sublinhar é que há mais vida para além das sanções. E essa vida para além das sanções é o que, precisamente estou a fazer como embaixador, que é: todo o mundo, todo o potencial de desenvolvimento de relações econômicas e comerciais está lá, portanto a nível de produtos e serviços, o turismo, a cooperação entre empresas tecnológicas, madeiras, revestimentos [… ] há todo um mundo, uma vida, a explorar", explicou o embaixador. 

Outros setores promissores para o comércio russo-português são as energias renováveis, o calçado, os têxteis. Paulo Vizeu Pinheiro sublinhou que Portugal quer promover a cooperação tecnológica entre as startups portuguesas e russas. 

Torcedores festejam depois da vitória da seleção nacional de Portugal na Eurocopa 2016, no dia 10 de julho de 2016, Portugal - Sputnik Brasil
Embaixador português: gostaria que final da Copa 2018 fosse entre a Rússia e Portugal
É de sublinhar que, apesar das medidas restritivas, o comércio russo-português tem crescido nos últimos tempos.

"O próprio presidente da Federação da Rússia, o presidente Vladimir Putin, quando apresentei as credenciais, falou do incremento muito considerável, aumento de 190 por cento do comércio bilateral nos últimos seis meses", afirmou ele.

Quanto ao futuro das relações comerciais entre Moscou e Lisboa, o diplomata sublinhou que Portugal é um mercado promissor.

"Portugal não é um mercado pequeno. Porque, além da integração na União Europeia, é um país com relações e laços muito especiais com África e com a América Latina e até com a Ásia, com Timor [Leste] e outros países. É um mercado que está bastante entrosado, bastante integrado nas cadeias globais de valor acrescentado", explicou Paulo Vizeu Pinheiro.

Nesse aspecto, Portugal pode ser um bom parceiro para a diversificação econômica e para modernização. A economia portuguesa está muito desenvolvida do ponto de vista tecnológico e digital. É uma sociedade muito fácil para fazer negócios, sublinhou o embaixador.

Tecnologia - Sputnik Brasil
Quais são negócios mais promissores no comércio russo-brasileiro?
"Há todo um espaço gigantesco de cooperação econômica para explorar e esta é a altura para o fazer", declarou ele.

O diplomata sublinhou que Portugal apoia o cumprimento dos acordos de Minsk [acordos que preveem uma série de pontos a ser seguidos no processo de pacificação, incluindo, principalmente, o cessar-fogo em Donbass]. No entanto, ele sublinha que as crises nas relações entre países vizinhos não são uma situação extraordinária. A UE é o principal parceiro comercial da Rússia e, por isso, o diplomata espera uma solução rápida do conflito.

"Desde a primeira hora Portugal sempre defende a resolução das questões que nos podem separar pelo diálogo", concluiu ele.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала