Ativista norte-americana se declara bloqueada no Twitter como 'bote russo'

CC0 / Pixabay / Policiais garantindo a segurança nas redes sociais
Policiais garantindo a segurança nas redes sociais - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Uma ativista negra de Atlanta, Charlie Peach, contou ao RT que o Twitter a bloqueou como "bote russo" por "intervenção da Rússia" nas eleições presidenciais dos EUA em 2016.

Applicación de Twitter (imagen referencial) - Sputnik Brasil
'Empresas como Twitter estão agindo como se fossem órgãos do Estado'
Como declarou a amiga de Peach após o incidente, disseram-lhe que era necessário que deixasse de se comunicar com a ativista porque ela é considerada "bote russo ou espiã russa".

"O meu endereço IP está bloqueado. Até mesmo não posso criar mais um perfil no Twitter do meu IP. Tentei fazê-lo com dois números de telefone e criei dois perfis com vários e-mails e com diferentes nomes. Fiz todo o processo, até que fosse dito 'o seu perfil está bloqueado'", disse Peach.

A ativista também disse que examina a possibilidade de recorrer ao tribunal.

Nota-se que em setembro de 2016 o Twitter bloqueou mais de 200 internautas, se referindo à "proibição de spam" e outras violações das regras. Além disso, a companhia revelou 179 perfis "ligados" com aqueles que foram bloqueados pelo Facebook. Algumas mídias achavam que os perfis "tinham ligação com a Rússia".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала