Mulheres combatentes curdas celebram libertação de Raqqa

Nos siga noTelegram
Em 22 de outubro, as Forças Democráticas da Síria (FDS), compostas por sírios e curdos, declaram ter libertado a cidade de Raqqa, que esteve sob controle do Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia) desde 2013. As mulheres participaram dos combates em condições de igualdade com os homens.

Sputnik seleciona as melhores fotos dessas mulheres corajosas que pegam em armas para combater terroristas.

© AFP 2022 / Bulent KilicUma mulher combatente curda depois da libertação de Raqqa.
Uma mulher combatente curda depois da libertação de Raqqa - Sputnik Brasil
1/12
Uma mulher combatente curda depois da libertação de Raqqa.
© AFP 2022 / Bulent KilicCombatentes curdas durante a celebração da libertação de Raqqa na praça central de Al-Naim.
Combatentes curdas durante a celebração da libertação de Raqqa na praça central de Al-Naim 3. Combatentes curdas em Raqqa libertada - Sputnik Brasil
2/12
Combatentes curdas durante a celebração da libertação de Raqqa na praça central de Al-Naim.
© AFP 2022 / Bulent KilicCombatentes curdas em Raqqa libertada.
Combatentes curdas em Raqqa libertada - Sputnik Brasil
3/12
Combatentes curdas em Raqqa libertada.
© AFP 2022 / Bulent KilicAs milícias retiram a última bandeira do Daesh, que permanecia sobre o Hospital Nacional da cidade.
As milícias retiram a última bandeira do Daesh, que permanecia sobre o Hospital Nacional da cidade - Sputnik Brasil
4/12
As milícias retiram a última bandeira do Daesh, que permanecia sobre o Hospital Nacional da cidade.
© AFP 2022 / Bulent KilicUma mulher combatente curda em Raqqa libertada.
Uma mulher combatente curda em Raqqa libertada - Sputnik Brasil
5/12
Uma mulher combatente curda em Raqqa libertada.
© AFP 2022 / Bulent KilicUma combatente curda das Forças Democráticas da Síria depois da libertação de Raqqa.
Uma combatente curda das Forças Democráticas da Síria depois da libertação de Raqqa - Sputnik Brasil
6/12
Uma combatente curda das Forças Democráticas da Síria depois da libertação de Raqqa.
© AFP 2022 / Bulent KilicAl-Naim, praça central da cidade de Raqqa.
Al-Naim, praça central da cidade de Raqqa - Sputnik Brasil
7/12
Al-Naim, praça central da cidade de Raqqa.
© AFP 2022 / Bulent KilicA cidade enchera-se de bandeiras das Forças Democráticas da Síria, que representam a força principal da aliança dos sírios e curdos, bem como das Unidades Femininas de Proteção (YPJ), que foram criadas na Síria em 2013 como o braço feminino das Unidades de Proteção Popular (YPG).
A cidade enchera-se de bandeiras das Forças Democráticas da Síria, que representam a força principal da aliança dos sírios e curdos, bem como das Unidades Femininas de Proteção (YPJ), que foram criadas na Síria em 2013 como o braço feminino das Unidades de Proteção Popular (YPG) - Sputnik Brasil
8/12
A cidade enchera-se de bandeiras das Forças Democráticas da Síria, que representam a força principal da aliança dos sírios e curdos, bem como das Unidades Femininas de Proteção (YPJ), que foram criadas na Síria em 2013 como o braço feminino das Unidades de Proteção Popular (YPG).
© AFP 2022 / Bulent KilicNas ruas da cidade, onde os terroristas do Daesh organizaram desfiles triunfais em 2014, agora se celebra a vitória das milícias das FDS.
Nas ruas da cidade, onde os terroristas do Daesh organizaram desfiles triunfais em 2014, agora se celebra a vitória das milícias das FDS - Sputnik Brasil
9/12
Nas ruas da cidade, onde os terroristas do Daesh organizaram desfiles triunfais em 2014, agora se celebra a vitória das milícias das FDS.
© AFP 2022 / Bulent KilicCombatentes curdas das FDS na Raqqa libertada.
Combatentes curdas das FDS na Raqqa libertada - Sputnik Brasil
10/12
Combatentes curdas das FDS na Raqqa libertada.
© AFP 2022 / Bulent KilicMulheres combatentes curdas depois da libertação de Raqqa, que era considerada a capital não oficial dos terroristas.
Mulheres combatentes curdas depois da libertação de Raqqa, que era considerada a capital não oficial dos terroristas - Sputnik Brasil
11/12
Mulheres combatentes curdas depois da libertação de Raqqa, que era considerada a capital não oficial dos terroristas.
© REUTERS / Bulent KilicUma combatente curda das FDS depois da libertação de Raqqa.
Uma combatente curda das FDS depois da libertação de Raqqa - Sputnik Brasil
12/12
Uma combatente curda das FDS depois da libertação de Raqqa.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала