Ataque norte-americano contra Pyongyang: roteiro pessimista que não pode ser excluído?

© REUTERS / Kim Hong-JiExercícios navais conjuntos entre EUA e Coreia do Sul
Exercícios navais conjuntos entre EUA e Coreia do Sul - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O chefe da CIA, Mike Pompeo, declarou que os EUA devem ser preparados para um possível ataque nuclear por parte de Pyongyang.

Washington tem que estar preparada para o fato de a Coreia do Norte poder em breve obter capacidades tecnológicas para atacar territórios dos EUA, afirma Pompeo, que acredita que a possibilidade de tal roteiro vai aumentando devido à falta da pressão internacional sobre Pyongyang.

Teste da bomba de hidrogênio da Coreia do Norte - Sputnik Brasil
Cálculo errado colossal: EUA são incapazes de fazer com que Coreia do Norte 'se ajoelhe'
Vladimir Terekhov, especialista russo em assuntos do Círculo do Pacífico, comentou a declaração de Pompeo. Para ele, tudo isso não é outra coisa senão pressão política sobre Pequim e não sobre Pyongyang.

"Isto é apenas uma guerra de palavras. Não acho que alguma coisa aconteça até à visita de Trump a Pequim, marcada para 8 de novembro. Aliás, a declaração de Pompeo é uma espécie de preparativo para essa visita, um elemento de pressão sobre Pequim", explicou o analista para o serviço russo da Rádio Sputnik.

Ele acrescentou que toda retórica dos EUA em torno da tensão na península coreana é dirigida contra a China. No entanto, ele não descarta um roteiro pessimista em que os EUA possam usar a força contra a Coreia do Norte.

"É muito provável que, em caso de aumento da tensão e de ausência de algum progresso na resolução da crise coreana, os EUA possam usar força. Não se pode excluir nada", considera Vladimir Terekhov.

Presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, dividem a tela - Sputnik Brasil
Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?
A tensão entre Washington e Pyongyang aumentou devido às manobras conjuntas dos EUA e Coreia do Sul. A Coreia do Norte teme que estes treinamentos possam ser uma ameaça, por isso continua aumentando seu potencial nuclear e de mísseis.

A Rússia e a China apresentaram uma proposta para a resolução da crise: os EUA e a Coreia do Sul se abstêm de manobras militares e, em troca, Pyongyang para de testar bombas e mísseis. A iniciativa foi ignorada por Washington.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала