Rússia está projetando 'guardião de monstros nucleares'

© Sputnik / Ilia Timin / Abrir o banco de imagensBarco de manutenção Imandra com quebra-gelos nuclear Sovetsky Soyuz, foto de arquivo
Barco de manutenção Imandra com quebra-gelos nuclear Sovetsky Soyuz, foto de arquivo - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Ministério da Indústria e Comércio russo realizou um concurso para o desenvolvimento de um navio polivalente destinado à manutenção de reatores nucleares. O novo navio deverá assegurar o funcionamento dos reatores da usina nuclear flutuante russa e dos quebra-gelo mais modernos do país.

Quebra-gelo diesel-elétrico russo Ilya Muromets em São Petersburgo, Rússia - Sputnik Brasil
Quebra-gelo mais esperado se juntará à Marinha da Rússia em breve
A documentação do concurso prevê a elaboração do projeto de uma "tecnologia de base flutuante" para a manutenção dos navios e das infraestruturas dotadas de reatores nucleares RITM-200, KLT-40S e dos futuros RITM-400, aponta o portal russo Flotprom.

Os RITM-200 são reatores usados nos novos quebra-gelo russos da classe Arktika, assim como nos futuros navios pesados da Marinha russa, enquanto os KLT-40S são utilizados na primeira usina atômica flutuante russa, a Akademik Lomonosov.

A criação deste novo navio se deve a que as embarcações atualmente em serviço da Atomflot, a empresa encarregada da manutenção de todos os quebra-gelo russos, já têm mais de 35 anos.

Além disso, o Imandra (assim se chama o navio de manutenção atual) foi projetado para os reatores de água pressurizada de gerações anteriores e não está adaptado para lidar com os reatores contemporâneos.

O lançamento do quebra-gelo Vladivostok, mais potente na Rússia - Sputnik Brasil
Conheça o quebra-gelo Vladivostok, o mais potente do mundo
De acordo com os resultados da licitação, o Escritório de Design Aisberg (Iceberg, em russo), "autor" de todos os quebra-gelo nucleares soviéticos e russos, se encarregará do projeto. O contrato deverá ser concluído antes de 2019.

Quanto à fabricação do navio, não deverá haver muitas dificuldades, aponta o Flotprom.

O próprio Imandra foi construído pelo estaleiro Baltisky, em São Petersburgo. Além disso, a empresa Sevmash construiu nos anos sessenta quatro navios semelhantes para fazer a manutenção técnica dos reatores dos submarinos nucleares, pelo que a indústria do país tem experiência e qualificação para empreender tal projeto, de acordo com o portal.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала