Presidente das Filipinas ameaça expulsar embaixadores europeus em 24 horas

© REUTERS / Lean DavalPresidente das Filipinas Rodrigo Duterte
Presidente das Filipinas Rodrigo Duterte - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, ameaçou nesta quinta-feira (12) expulsar os embaixadores europeus em 24 horas por uma suposta conspiração para retirar as Filipinas da Organização das Nações Unidas (ONU).

Em um enérgico discurso, Duterte afirmou que não irá tolerar críticas europeias à sua guerra às drogas, que já resultou em 3.850 pessoas mortas em 15 meses. Grupos de direitos humanos afirmam que há um possível crime contra a humanidade em andamento. 

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, no aeroporto internacional Ninoy Aquino em 13 de dezembro - Sputnik Brasil
Presidente das Filipinas autoriza polícia a matar seus filhos, se forem pegos com drogas
O presidente filipino acusou a União Europeia de interferir nos assuntos domésticos de Manila.

"Assim mesmo, você nos diz: 'Você será excluído na ONU'. Filho da p****, vá em frente", disse Duterte a repórteres. O mandatário filipino também afirmou que a UE aproveita-se da pobreza das Filipinas.

"Você nos dá dinheiro, então você começa a orquestrar o que deve ser feito e o que não deve acontecer em nosso país. Você é uma besteira. Acabou a colonização. Não f*** conosco".

Duterte disse que estava preparado para expulsar os embaixadores europeus do país se seus governos tentassem expulsar as Filipinas da ONU.

"Você acha que somos um monte de idiotas aqui. Você é o único. Agora, os embaixadores desses países ouvindo, me digam, porque podemos cortar o canal diplomático amanhã. Vocês saem do meu país em 24 horas, todos, todos vocês."

Presidente filipino, Rodrigo Duterte - Sputnik Brasil
Duterte: polícia filipina pode matar os 'idiotas' que resistirem à prisão
O presidente filipino não apresentou nenhuma prova da suposta intenção do bloco europeu. 

A UE não fez nenhum comentário público sobre querer remover as Filipinas da ONU, mas já criticou no ano passado o alto número de execuções extrajudiciais no país asiático. 

Duterte foi eleito em 2016 depois de prometer erradicar o tráfico de drogas ilegais em seis meses e garantir que 100 mil pessoas seriam mortas no processo.

Muitos filipinos continuam a apoiar a repressão, mas uma pesquisa no mês passado mostrou a primeira grande queda na popularidade de Duterte.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала