Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Senadores dos EUA pedem que Pyongyang seja declarado Estado patrocinador do terrorismo

© REUTERS / KCNADesfile militar em Pyongyang
Desfile militar em Pyongyang - Sputnik Brasil
Nos siga no
Uma dúzia de senadores norte-americanos assinaram uma carta para o Departamento de Estado pedindo que a Coreia do Norte seja incluída na lista dos países patrocinadores do terrorismo. O pedido foi incentivado pelos pais de Otto Warmbier, um estudante norte-americano que esteve preso na Coreia do Norte e morreu logo após ter sido libertado.

O projeto foi assinado por representantes tanto do Partido Democrata como do Partido Republicano.

A carta pede que o Departamento de Estado considere "o conjunto das ações da Coreia do Norte — incluindo a detenção, prisão e maus tratos de cidadãos norte-americanos […] constantes vendas de armas e entrega de tecnologias sensíveis a outros Estados patrocinadores do terrorismo", assim como "atos violentos e desestabilizadores tanto no país como fora".

Material bélico da Coreia do Norte mostrado durante o desfile militar - Sputnik Brasil
Político norte-americano: Trump parece não saber como lidar com Coreia do Norte nuclear
"O Departamento de Estado tomará medidas imediatas caso haja provas credíveis para considerar a Coreia do Norte como um Estado patrocinador do terrorismo, de acordo com a legislação."

Antes de enviar o pedido, os senadores se encontraram com os pais do estudante norte-americano Otto Warmbier. Estes apelaram abertamente para que a Coreia do Norte seja designado como um Estado que patrocina o terrorismo.

"Vemos a Coreia do Norte afirmando que é uma vítima e que o mundo a está perseguindo. Mas estamos aqui para lhes dizer que a Coreia do Norte não é uma vítima, eles são terroristas", disse em setembro Fred Warmbier, o pai do estudante no programa Fox & Friends.

Em 13 de junho, Otto Warmbier, de 22 anos, foi entregue aos Estados Unidos pela Coreia do Norte em estado coma, depois de ter estado preso no país asiático por mais de um ano. Ele passou 15 meses na prisão por alegadas ações antigovernamentais e morreu logo depois da chegada aos EUA. Segundo os médicos, o jovem morreu devido a uma carência crônica de oxigênio e sangue no cérebro.

Estudante americano, Otto Warmbier, falando com repórteres em Pyongyang - Sputnik Brasil
Coreia do Norte acusa Trump de explorar a morte do estudante norte-americano
Atualmente, a lista dos países patrocinadores do terrorismo elaborada pelo Departamento de Estado inclui o Irã, a Síria e o Sudão. Antes, da lista também faziam parte Cuba, a Líbia, o Iraque, o Iêmen do Sul (que já não existe) e a própria Coreia do Norte, que esteve na lista entre 1988 e 2008. No entanto, nesse ano, o país foi excluído da lista após prometer conter seu programa nuclear.

Caso seja declarado de novo um Estado patrocinador do terrorismo, a Coreia do Norte enfrentará ainda mais sanções.

Por enquanto, não há provas de que Pyongyang esteja ligada com grupos terroristas como o Daesh (proibido na Rússia). No entanto, os norte-coreanos mantêm relações na área de defesa com o Irã, o Sudão e a Síria, que já estão na lista.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала