Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Por que EUA provocam Irã?

© AFP 2021 / STR / Vahidreza AlaiA bandeira do Irã em frente do foguete Safir Omid antes do seu lançamento
A bandeira do Irã em frente do foguete Safir Omid antes do seu lançamento - Sputnik Brasil
Nos siga no
Washington lança provocações deliberadas em relação a Teerã para que este renuncie às suas obrigações assumidas no Acordo Nuclear, declarou o chefe do Comitê de Assuntos Internacionais do Conselho da Federação russo Konstantin Kosachov.

"Washington pode provocar o Irã para que renuncie às suas obrigações e culpar Teerã de minar os acordos, uma tática suja que pode funcionar", publicou o senador na sua página no Facebook.

Também apelou aos aliados dos EUA na Europa e Médio Oriente para "aumentarem sua sua voz antes que surja uma nova crise, mais grave que a norte-coreana".

Anteriormente, o diário The Washington Post informou que o presidente dos EUA Donald Trump prevê anunciar na próxima semana que abandona o Acordo Nuclear.

"Os sinais de que Trump pode declarar que cancela o Acordo Nuclear com o Irã, com a reanimação subsequente das sanções, comprovam que os próprios EUA são um problema muito mais grave para o mundo do que os que tenta resolver", adicionou Kosachev.

Teerã e o Grupo 5+1 (China, EUA, França, Reino Unido, Rússia e Alemanha) assinaram em junho de 2015 o acordo chamado Plano de Ação Conjunto Global, que estabelece os limites ao programa nuclear iraniano para excluir a possível dimensão militar em troca do levantamento das sanções internacionais.

Presidente norte-americano, Donald Trump, falando com jornalistas, entre o secretário de Estado (à esquerda), Rex Tillerson, e secretário de Defesa (à direita), James Mattis, na Casa Branca, Washington - Sputnik Brasil
Sobre rumo dos EUA nas relações com Pyongyang e Teerã: 'reina caos' na equipe de Trump
Em janeiro de 2016, depois de a OIEA confirmar que o Irã cumpre as suas obrigações, os EUA levantaram algumas das sanções impostas à República Islâmica, mas manteve em vigor outras restrições.

Em meados de julho de 2017, o governo dos EUA estendeu as sanções financeiras contra 18 pessoas e entidades supostamente ligadas aos programas militares e de mísseis balísticos de Teerã.

O presidente iraniano Hassan Rouhani advertiu, em meados de agosto, que se os EUA continuarem a política de sanções contra o seu país, Teerã poderia abandonar o Plano "em uma questão de dias e horas".

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала