Paz mais próxima? Netanyahu aponta 3 condições para reconciliação com os palestinos

© AP Photo / Alex Brandon, PoolPrimeiro-ministro israelense Netanyahu e o presidente palestino Abbas
Primeiro-ministro israelense Netanyahu e o presidente palestino Abbas - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu disse na terça-feira que não reconheceria nenhuma reconciliação com os palestinos "à custa da existência de Israel" e exigiu que as conversas de paz com um interlocutor palestino passassem pelo reconhecimento do Estado de Israel.

"Para aqueles que procuram uma reconciliação, queremos dizer que a nossa posição é simples: reconhecer o Estado de Israel, desmantelar a ala armada do Hamas, cortar as relações com um Irã que exige a nossa destruição. Estas são coisas claras que já mencionamos no passado", disse o primeiro-ministro em uma visita a uma colônia israelense na Cisjordânia ocupada.

Estas são as primeiras declarações feitas por Netanyahu depois que o governo palestino do presidente Mahmoud Abbas e o movimento islâmico palestino Hamas se encontraram de segunda-feira em Gaza para aproximar suas posições.

Na terça-feira, o governo palestino conseguiu reunir um conselho de ministros em Gaza pela primeira vez desde 2014.

As divisões internas palestinas pioraram na última década. O Hamas assumiu o poder em Gaza em 2007 e, desde então, o governo Abbas foi relegado para a Cisjordânia.

Israeli Prime Minister Benjamin Netanyahu - Sputnik Brasil
Netanyahu ameaça Irã e sugere que Israel possa usar armas nucleares

Em setembro, o Hamas anunciou que queria acabar com suas diferenças com o governo palestino em benefício dos 2 milhões de pessoas de Gaza, para quem a fricção interna e o bloqueio impostos por Israel há dez anos tiveram consequências devastadoras.

Na próxima semana, o Fatah, líderes do movimento Abbas e Hamas se encontrarão no Egito, um país mediador, para continuar avançando em sua abordagem.

Na agenda, haverá questões espinhosas que podem conter essa reconciliação, como o desarmamento da ala armada do Hamas, as brigadas Ezzedin al-Qassam, o destino de milhares de oficiais islâmicos ou a organização de eleições gerais.

As relações entre Israel e a Palestina foram destruídas por décadas, já que os palestinos têm buscado o reconhecimento diplomático de seu Estado independente nos territórios da Cisjordânia, incluindo Jerusalém Oriental, parcialmente ocupada por Israel, e a Faixa de Gaza.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала