EUA abandonam uma das suas bases na Síria: para onde ela foi transferida?

© REUTERS / Rodi SaidUm combatente norte-americano, que está lutando ao lado das Forças Democráticas da Síria, segura bandeira do seu país
Um combatente norte-americano, que está lutando ao lado das Forças Democráticas da Síria, segura bandeira do seu país - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Washington abandonou uma das suas bases no sul da Síria. Trata-se da base militar de Al-Zakf, situada próximo da fronteira sírio-iraquiana. Fontes do jornal russo Izvestia no Exército sírio confirmaram a retirada dos norte-americanos.

Edifícios destruidos em Deir ez-Zor - Sputnik Brasil
EUA estão prontos para iniciar Terceira Guerra Mundial por Deir ez-Zor?
Fontes diplomáticas russas, por sua vez, explicaram ao Izvestia que o fechamento da base foi realizado no âmbito dos acordos sobre a criação da zona de desescalada no sul da Síria, na província de Daraa.

Com a saída da base de Al-Zakf, a presença permanente dos EUA no sul da Síria se limitará à base militar de Al-Tanf, situada na interseção das fronteiras da Síria, Jordânia e Iraque. É aí que se realiza o treinamento das forças armadas da oposição. Em Al-Tanf se localizam ainda os sistemas lançadores múltiplos de foguetes HIMARS dos EUA, que foram anteriormente deslocados da Jordânia. 

Militares americanos e rebeldes do Maghaweer al-Thawra, apoiado pelos EUA, em Al Tanf, no sul da Síria - Sputnik Brasil
Fonte: EUA dizem estar prontos a abandonar sua base militar em Al-Tanf, na Síria
Entretanto, uma fonte diplomático-militar declarou à Sputnik que Washington pode também abandonar base de Al-Tanf. As datas de retirada das tropas não são conhecidas.

Segundo o especialista militar Vladimir Evseev, os norte-americanos estão concentrando gradualmente a sua atenção em outra região da Síria.

"Criando as bases no sul do país, os EUA planejavam formar uma espécie de zona de amortecimento para deslocar para lá os militantes que estão treinando na Jordânia. Entretanto, não foi possível fazê-lo por causa do exército sírio e das forças pró-iranianas. Washington começou buscando opções para manter sua presença na zona, que se tornou uma área de distensão. A Rússia garantiu a retirada do Hezbollah desta região. É por isso que, para os norte-americanos, deixou de fazer sentido ter uma presença tão grande nesta área. Mais do que isso, os EUA não consideram o sul da Síria como uma prioridade. Sua atenção principal agora é Deir ez-Zor", disse Evseev.

A situação operacional impõe aos norte-americanos a necessidade de reduzir significativamente o apoio à oposição armada no sul e, pelo contrário, aumentar a assistência aos curdos das Forças Democráticas da Síria (FDS) no leste, explicou o especialista.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала