Em meio a tensões em torno do referendo curdo, peshmerga diz poder repelir qualquer ataque

© REUTERS / Azad LashkariForças curdas Peshmerga observam aldeia perto da cidade de Mossul no Iraque
Forças curdas Peshmerga observam aldeia perto da cidade de Mossul no Iraque - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, condenou o referendo sobre a independência dos curdos iraquianos, informando que o exército turco se encontra na fronteira com o Iraque pronto para adotar as "medidas necessárias".

Referendo no Curdistão iraquiano - Sputnik Brasil
Turquia não planeja envolver-se em guerra na sequência do referendo no Curdistão
Erdogan ameaçou impedir as exportações de petróleo do Curdistão iraquiano que passam pelo território turco.

Nesta segunda-feira (25), foi informado que a Turquia tinha bloqueado o acesso ao país no norte do Iraque através do posto fronteiriço de Khabur. Ancara assegurou que tomará "todas as medidas" em conformidade com o direito internacional, caso o referendo curdo ponha em perigo sua segurança nacional, informa o RT. 

As forças do Curdistão iraquiano da peshmerga, por sua vez, declararam estar prontas para repelir qualquer ataque contra o Curdistão iraquiano, segundo o general curdo, Sirvan Barzani.

"A meu ver, as forças peshmerga, sem dúvidas, estão prontas para combater. Conseguimos lutar com o exército iraquiano, que contava com um milhão de pessoas — o mais forte exército da região no momento — apenas com AK-47 nas mãos. Claro que estamos prontos para repelir [um ataque] venha o que vier", disse o comandante.

No entanto, o general acredita que os países vizinhos não vão realizar intervenção militar.

Trabalhador em refinaria de petróleo - Sputnik Brasil
'Tsunami' de petróleo ameaça mercado mundial após referendo no Curdistão
"Eles conhecem os curdos há 45 anos. Provamos com nossas ações que somos bons vizinhos. Não acredito que vá haver uma intervenção militar ou que vá acontecer qualquer outro erro parecido", sublinhou.

Além disso, Sirvan Barzani agradeceu a Rússia pelo posicionamento respeitoso em relação ao referendo e supôs que caso o Curdistão seja proclamado independente, há possibilidade do exército ser equipado com armas russas.

Sirvan Barzani é sobrinho do presidente do Curdistão iraquiano, Masoud Barzani. Ele comanda a unidade de elite das forças peshmerga, Black Tiger. Foram os seus destacamentos que realizaram os primeiros ataques bem-sucedidos contra os militantes do Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia), fazendo com que saíssem da cidade de Mossul (Iraque).

O Curdistão iraquiano realiza hoje (25) um referendo sobre a sua independência, um passo que foi criticado tanto por Bagdá quanto a nível internacional, principalmente pelos EUA, Turquia e Irã.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала