Moscou: EUA devem parar com as sugestões de intervenção armada dos EUA na Venezuela

© REUTERS / Marco BelloManifestantes criam barricadas enquanto se reúnem contra o governo do presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, em Caracas, Venezuela, 4 de agosto de 2017.
Manifestantes criam barricadas enquanto se reúnem contra o governo do presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, em Caracas, Venezuela, 4 de agosto de 2017. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Rússia é contra intervenção militar de terceiros na Venezuela, como sugerem os EUA, disse à Sputnik o diretor do departamento da América Latina do ministério das Relações Exteriores da Rússia, Aleksandr Shetinin.

Nicolás Maduro pede interferência do Papa junto a Trump para evitar uma invasão da Venezuela - Sputnik Brasil
Especialista: Trump age como se Venezuela fosse republiqueta de bananas
O presidente dos EUA, Donald Trump, declarou na Assembleia Geral da ONU que Washington está pronto para agir contra a Venezuela, se o governo daquele país não mudar de rumo.

Em resposta, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, chamou o líder norte-americano de "novo Hitler". O ministro das Relações Exteriores venezuelano, Jorge Arreaza, lembrou que Trump não é o presidente do mundo todo, e por isso não pode interferir nos assuntos do pais sul-americano.

"Venezuela sempre esteve na nossa pauta em todos os contatos que mantivemos esses dias [no âmbito da Assembleia Geral da ONU] com os nossos parceiros latino-americanos. Devo dizer que não temos desentendimentos significantes com os latino-americanos. Defendemos o diálogo, uma solução pacífica. Que a situação na Venezuela se desenvolva sem nenhuma interferência exterior, e menos ainda com uso de força, que já foi sugerido por alguns representantes dos EUA", disse o diplomata russo.

"Acreditamos que a comunidade internacional deve ajudar Venezuela a encontrar bases comuns para promover uma pauta conjunta, inclusive, em primeiro lugar, na área social e econômica", completou o interlocutor da agência.

Shetinin afirmou que a Rússia recebeu muito bem os esforços empreendidos por alguns países da região para "realizar contato entre os representantes do governo e das forças de oposição, que aconteceu em Sando Domingo".

"Em nossa opinião, essa justamente é a base, esse é o caminho necessário", concluiu. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала