'Inteligência artificial' de Putin provoca histeria nos EUA

© Sputnik / Alexey Druzhinin / Abrir o banco de imagensVladímir Putin, presidente de Rusia, en la exposición de los negocios de "la economía digital"
Vladímir Putin, presidente de Rusia, en la exposición de los negocios de la economía digital - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou que o país que conseguir dominar o desenvolvimento da inteligência artificial será "o dono do mundo". Esta "mensagem" do líder russo chamou a atenção da mídia ocidental e causou uma verdadeira histeria nos Estados Unidos, opinou o colunista Ivan Danilov em seu artigo à Sputnik.

A mídia de "mainstream" começou a criar uma imagem apocalíptica dos massacres que cometeria "uma inteligência artificial russa" nos campos de batalha. Estes também apontaram para o modo como a "propaganda robotizada" de Putin funcionaria nas redes sociais norte-americanas, escreve Danilov.

Vladimir Putin, presidente russo, responde às perguntas dos cidadãos no programa Linha Direta com Vladimir Putin - Sputnik Brasil
Putin: 'Quem dominar a inteligência artificial governará o mundo'
Por sua vez, o magnata Elon Musk pôs lenha na fogueira, citando as palavras de Putin "na campanha do empresário para aumentar a histeria em torno das pesquisas na área de inteligência artificial". Como resultado, uma orquestra de jornalistas e analistas entraram no jogo e exigiram que a ameaça do uso da "inteligência artificial" russa fosse encarada com seriedade, afirmou o colunista.

Segundo Danilov, logo chegará o dia em que surgirão propostas para introduzir sanções contra a Rússia a fim de "impedir essa ameaça à democracia mundial e aos valores liberais".

O autor do artigo frisa que tais mídias como CNN tentam acalmar e aterrorizar seus leitores ao mesmo tempo.

Danilov enfatiza que a mídia ocidental tenta agir combinando dois argumentos. O primeiro é que a Rússia estaria atrasada na área dos estudos avançados no campo da inteligência artificial, sendo assim, seus projetos nesta área não seriam tão bons quando comparados aos seus análogos ocidentais.

O segundo trata-se de que a inteligência artificial russa compensaria seu "atraso" com a falta de restrições morais.

"É engraçado e feio ao mesmo tempo, pois o país que bombardeou Hiroshima e Belgrado, além de usar armas químicas no Vietnã, faz sermões quanto ao uso de novas tecnologias. É preciso se acostumar", assinalou o jornalista.

Robôs - Sputnik Brasil
Robôs poderão mesmo desencadear 3ª Guerra Mundial como acredita Elon Musk?
Danilov recorda que um jornalista da Bloomberg descobriu mais uma causa de preocupação: este informou que o exército russo já estava realizando experimentos com o uso de "guerra centrada nas redes" na Síria.

Neste sentido, é preciso levar a sério as iniciativas de Musk, que começou a promover a criação de uma convenção da ONU que proíba os estudos no âmbito de armas robotizadas. Musk já conta com o apoio de quase cem empresários e ativistas, a maioria dos quais representa os Estados Unidos e outros países da OTAN, destacou Danilov.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала