- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Mítica beleza do mar: sereias encantadoras ganham vida no Brasil

Nos siga noTelegram
Já alguma vez ouviu falar sobre sereísmo, ou seja, a arte de ser uma verdadeira sereia? Esta atividade não é apenas bonita, mas pode mesmo trazer benefícios: algumas sereias usam seu charme para animar crianças com deficiências.

Enquanto muitos foram inspirados, quando eram crianças, pelo filme Splash — Uma Sereia em Minha Vida ou pelo desenho animado A Pequena Sereia, apenas algumas pessoas decidiram se tornar sereias verdadeiras já sendo adultos. Dê uma olhadela a estas sereias brasileiras que "fizeram crescer" suas próprias barbatanas e caudas para preencher a vida delas e as dos outros com um pouco de magia.

© REUTERS / Pilar Olivares Carol Catan ganhou vida como sereia em 2012, após dez anos de trabalho como veterinária. Conhecida agora como a Sereia Carol, ela está representando uma mítica criatura marinha e ensinando sereísmo.
Foto: Estudante participando de uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, em 28 de maio de 2017.
Estudante participando de uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, em 28 de maio de 2017. - Sputnik Brasil
1/12
Carol Catan ganhou vida como sereia em 2012, após dez anos de trabalho como veterinária. Conhecida agora como a Sereia Carol, ela está representando uma mítica criatura marinha e ensinando sereísmo.
Foto: Estudante participando de uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, em 28 de maio de 2017.
© REUTERS / Pilar OlivaresCarol é paga por representar uma sereia em vários eventos tais como festas de crianças. Mas ela também encontra tempo para brincar com crianças em cadeiras de rodas em hospitais brasileiros.
Foto: Mulher tirando foto de uma menina participando de uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de maio de 2017.
Mulher tirando foto de uma menina participando de uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de maio de 2017 - Sputnik Brasil
2/12
Carol é paga por representar uma sereia em vários eventos tais como festas de crianças. Mas ela também encontra tempo para brincar com crianças em cadeiras de rodas em hospitais brasileiros.
Foto: Mulher tirando foto de uma menina participando de uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de maio de 2017.
© REUTERS / Pilar OlivaresDe acordo com Carol, o trabalho voluntário é uma de suas experiências mais gratificantes, pois uma sereia dá apoio emocional a crianças com deficiências. Vestida de fantasia com uma cauda longa, verde e brilhante, Carol está sentada numa cadeira de rodas para que as crianças se possam identificar com ela. Ela conversa com os jovens pacientes e "eles se sentem inclusos e queridos".
Foto: Sereia Carol visita a Associação de Assistência à Criança Deficiente em São Paulo, Brasil, em 8 de junho de 2017.
Sereia Carol visita a Associação de Assistência à Criança Deficiente em São Paulo, Brasil, em 8 de junho de 2017 - Sputnik Brasil
3/12
De acordo com Carol, o trabalho voluntário é uma de suas experiências mais gratificantes, pois uma sereia dá apoio emocional a crianças com deficiências. Vestida de fantasia com uma cauda longa, verde e brilhante, Carol está sentada numa cadeira de rodas para que as crianças se possam identificar com ela. Ela conversa com os jovens pacientes e "eles se sentem inclusos e queridos".
Foto: Sereia Carol visita a Associação de Assistência à Criança Deficiente em São Paulo, Brasil, em 8 de junho de 2017.
© REUTERS / Pilar OlivaresSereias posando perante visitantes no Aquário de São Paulo, em São Paulo, Brasil, em 8 de junho de 2017.
Sereias posando perante visitantes no Aquário de São Paulo, em São Paulo, Brasil, em 8 de junho de 2017. - Sputnik Brasil
4/12
Sereias posando perante visitantes no Aquário de São Paulo, em São Paulo, Brasil, em 8 de junho de 2017.
© REUTERS / Pilar OlivaresA Sereia Carol foi inspirada pelo filme Splash - Uma Sereia em Minha Vida com Deryl Hannah como sereia, mas ela confessa que tem gostado de sereias desde criança, quando praticava natação com suas pernas juntas. A "sereia" treina todos os dias e pode passar até quatro minutos debaixo de água sem respirar.
Foto: Meninas participando de uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de maio de 2017.
Meninas participando de uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de maio de 2017 - Sputnik Brasil
5/12
A Sereia Carol foi inspirada pelo filme Splash - Uma Sereia em Minha Vida com Deryl Hannah como sereia, mas ela confessa que tem gostado de sereias desde criança, quando praticava natação com suas pernas juntas. A "sereia" treina todos os dias e pode passar até quatro minutos debaixo de água sem respirar.
Foto: Meninas participando de uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de maio de 2017.
© REUTERS / Pilar OlivaresEnsinar sereísmo não é algo de raro no Brasil.
Foto: Sereia e instrutora de mergulho, Luciana Fuzetti ajuda pescadores a puxar uma rede em uma praia de Niterói, Brasil, em 13 de julho de 2017.
Sereia e instrutora de mergulho, Luciana Fuzetti ajuda pescadores a puxar uma rede em uma praia de Niterói, Brasil, em 13 de julho de 2017 - Sputnik Brasil
6/12
Ensinar sereísmo não é algo de raro no Brasil.
Foto: Sereia e instrutora de mergulho, Luciana Fuzetti ajuda pescadores a puxar uma rede em uma praia de Niterói, Brasil, em 13 de julho de 2017.
© REUTERS / Pilar OlivaresLuciana treina usando cauda de sereia nas Ilhas Tijucas no Rio de janeiro, Brasil, em 22 de julho de 2017.
Luciana treina usando cauda de sereia nas Ilhas Tijucas no Rio de janeiro, Brasil, em 22 de julho de 2017 - Sputnik Brasil
7/12
Luciana treina usando cauda de sereia nas Ilhas Tijucas no Rio de janeiro, Brasil, em 22 de julho de 2017.
© REUTERS / Pilar OlivaresOutra "sereia" brasileira, Thais Picchi, era bailarina e instrutora de direitos civis antes de ter decidido se transformar em uma mítica beleza marinha. Após uma crise pessoal quatro anos atrás, o sereísmo a ajudou a reduzir o estresse.
Foto: Meninas se preparando para uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de mio, de 2017.
Meninas se preparando para uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de mio, de 2017 - Sputnik Brasil
8/12
Outra "sereia" brasileira, Thais Picchi, era bailarina e instrutora de direitos civis antes de ter decidido se transformar em uma mítica beleza marinha. Após uma crise pessoal quatro anos atrás, o sereísmo a ajudou a reduzir o estresse.
Foto: Meninas se preparando para uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de mio, de 2017.
© REUTERS / Pilar OlivaresThais teve aulas de mergulho livre e danças subaquáticas, aderindo depois ao "movimento do sereísmo". Agora ela mesma é instrutora de sereísmo.
Foto: Thais Picchi posando no mar para um fotógrafo na praia do Arpoador no Rio de Janeiro, Brasil, em 6 de junho de 2017.
Thais Picchi posando no mar para um fotógrafo na praia do Arpoador no Rio de Janeiro, Brasil, em 6 de junho de 2017 - Sputnik Brasil
9/12
Thais teve aulas de mergulho livre e danças subaquáticas, aderindo depois ao "movimento do sereísmo". Agora ela mesma é instrutora de sereísmo.
Foto: Thais Picchi posando no mar para um fotógrafo na praia do Arpoador no Rio de Janeiro, Brasil, em 6 de junho de 2017.
© REUTERS / Pilar OlivaresMenina se preparando para uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de maio de 2017.
Menina se preparando para uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de maio de 2017 - Sputnik Brasil
10/12
Menina se preparando para uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de maio de 2017.
© REUTERS / Pilar OlivaresSereia e instrutora de mergulho Luciana Fuzetti treinando vestida com cauda de sereia nas Ilhas Tijucas no Rio de Janeiro, em 22 de julho de 2017.
Sereia e instrutora de mergulho Luciana Fuzetti treinando vestida com cauda de sereia nas Ilhas Tijucas no Rio de Janeiro, em 22 de julho de 2017 - Sputnik Brasil
11/12
Sereia e instrutora de mergulho Luciana Fuzetti treinando vestida com cauda de sereia nas Ilhas Tijucas no Rio de Janeiro, em 22 de julho de 2017.
© REUTERS / Pilar OlivaresNão são apenas as mulheres brasileiras que têm afeição por sereísmo: por todo o mundo se realizam aulas que ensinam capacidades para se ser uma sereia
Foto: Caudas de sereia penduradas durante uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de maio de 2017.
Caudas de sereia penduradas durante uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de maio de 2017 - Sputnik Brasil
12/12
Não são apenas as mulheres brasileiras que têm afeição por sereísmo: por todo o mundo se realizam aulas que ensinam capacidades para se ser uma sereia
Foto: Caudas de sereia penduradas durante uma aula de sereísmo no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de maio de 2017.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала