Protestos de rua serão proibidos na Venezuela a partir de sexta-feira

Nos siga noTelegram
As autoridades venezuelanas proibiram protestos de rua a partir de sexta-feira, na véspera das eleições para a Assembleia Constituinte, que será realizada no domingo, disse o ministro do Interior, Nestor Luis Reverol, nesta quinta-feira, acrescentando que essa proibição estará vigente até 1 de agosto.

Manifestantes da oposição em confronto com a polícia durante a chamada mãe de todas as marchas contra o presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, em Caracas - Sputnik Brasil
EUA ameaçam 'atacar' petróleo da Venezuela em caso de confirmação da Constituinte
"[Pessoas] que organizam, apoiam ou incitam a organização e o funcionamento do processo eleitoral do país serão sentenciadas a prisão de cinco a dez anos, de acordo com o artigo 56 da Lei Orgânica sobre Segurança Nacional", afirmou Reverol. Ele especificando que a proibição estará em vigor de 28 de julho a 1 de agosto.

Em 20 de julho, uma greve de 24 horas contra a Assembleia Constituinte tomou o país. A nova constituição, segundo o governo, deve acabar com a crise política que começou em janeiro de 2016, quando uma nova legislatura foi eleita e as relações entre o presidente Nicolás Maduro e o parlamento se tornaram muito tesas.

Em março, o Supremo Tribunal venezuelano decidiu absorver o poder legislativo da Assembléia Nacional. Embora a decisão controversa tenha sido imediatamente revertida, os partidários do parlamento controlado pela oposição tomaram as as ruas desde o início de abril. Mais de 100 pessoas já morreram durante os violentos protestos contra o governo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала