- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Condenado pelo mensalão revela caixa 2 em 1998 e 2002 a FHC, Lula, Serra e Aécio

© Foto / Ricardo Stuckert / Instituto LulaEncontro entre Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo
Encontro entre Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Condenado no mensalão do PT, o empresário e publicitário Marcos Valério afirmou à Polícia Federal (PF), em delação premiada, que foi intermediário da Usiminas em doações de caixa 2 para campanhas políticas entre 1998 e 2002, de acordo com reportagem do jornal O Globo.

Em sua delação, segundo a publicação, Valério citou doações feitas via caixa 2 (dinheiro não contabilizado oficialmente) para a campanha de reeleição de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em 1998.

Ainda de acordo com o publicitário, o mesmo valor foi repassado para as campanhas à Presidência da República de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e José Serra (PSDB), em 2002, e para a campanha de Aécio Neves (PSDB) ao governo de Minas Gerais, também em 2002.

Todos os valores teriam sido autorizados pelo então presidente da Usiminas, Rinaldo Soares, que já foi alvo de investigação pela suspeita de uso da empresa SMP&B para realizar pagamentos ilegais.

José Mujica em 2009 - Sputnik Brasil
Mujica: 'Tenho pena do Brasil' que parece 'estar voltando aos seus piores tempos'

No caso das campanhas tucanas, os valores teriam sido entregues a Pimenta da Veiga, ex-ministro de FHC e que recentemente foi inocentado em um julgamento do mensalão do PSDB em Minas Gerais, que corre na primeira instância e que tem o ex-governador Eduardo Azeredo como um dos réus a serem julgados (o caso corre risco de prescrição).

Já os valores direcionados a Lula teriam tido o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares (também condenado no mensalão petista), como intermediário. Já Aécio teria recebido diretamente os recursos, de acordo com o publicitário.

A delação de Valério precisa ser homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para ter valor jurídico, acrescenta O Globo. Todos os mencionados pelo publicitário negaram as irregularidades.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала