Os habitantes mais poderosos do Universo: buracos negros podem ter 'dirigido' galáxias

© NASA . NASABuraco negro que está arrastrando a matéria da estrela azul na visão de um artista
Buraco negro que está arrastrando a matéria da estrela azul na visão de um artista - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os astrônomos da Academia de Ciências da Rússia e da Universidade Estatal de Moscou descobriram que a aparência e o tamanho das galáxias dependiam no passado remoto do número de "embriões" de buracos negros encontrados em suas franjas, indica o artigo publicado pelo Journal of Cosmology and Astroparticle Physics.

Imagem da galáxia 2XMM J143450.5+033843 tirada pelo telescópio espacial Hubble - Sputnik Brasil
Buraco negro de uma galáxia vizinha pode vir a 'disparar' na Terra
Acredita-se que no centro da maioria de galáxias maciças habitam buracos negros supermaciços, cuja massa pode ser igual a desde um milhão até bilhões de massas do Sol. As razões para a formação destes objetos ainda permanecem desconhecidas.

Hoje em dia, a maioria dos astrônomos acha que buracos negros supermaciços teriam aparecido na juventude do Universo a partir dos chamados buracos negros primordiais, um estado intermediário entre buracos negros supermaciços e convencionais, que também se definem como "embriões" de buracos negros.

O astrônomo Aleksandr Dolgov, do Instituto de Física Teórica e Experimental da Academia de Ciências da Rússia, e o seu colega Konstantin Postnov, da Universidade Estatal de Moscou, descobriram que tais "embriões" poderiam ter desempenhado um papel-chave na formação de todas as galáxias.

Planeta Marte - Sputnik Brasil
Hubble faz novas imagens de Fobos, a 'lua maldita' de Marte (VÍDEO)
Segundo os cálculos dos cientistas, nos primeiros dias do Universo poderia ter aparecido um número altíssimo destes astros, cerca de 10-100 vezes superior ao número de todas as galáxias existentes.

Além disso, os astrônomos russos chegaram à conclusão que tais buracos negros poderiam ter "dirigido" o aumento de galáxias e controlar sua forma e massa, e não o contrário, como acreditam hoje muitos astrofísicos.

Baseando-se nesta ideia, os cientistas calcularam como mudava a forma das galáxias dependendo da variação das acumulações esféricas e da massa dos buracos negros no seu centro. Foi descoberto que os buracos negros desempenharam o papel principal no nascimento de galáxias elípticas e espirais, fazendo com que elas se formassem mesmo quando estava ausente o anel de matéria escura, que hoje se considera o principal fator do aparecimento de galáxias.

Tal cenário de formação de galáxias pode explicar, segundo acham os especialistas, um dos maiores enigmas cosmológicos — por que as primeiras galáxias possuem uma massa elevadíssima e buracos negros muito pesados, cuja existência os cientistas antes não podiam explicar.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала