Fonte: Israel é contra presença militar russa no sul da Síria

© AFP 2022 / AHMAD GHARABLIUm soldado israelense vigiando a linha de demarcação que separa o território sírio e israelense
Um soldado israelense vigiando a linha de demarcação que separa o território sírio e israelense - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Israel opõe-se a que as tropas russas controlem as zonas de desescalada que deverão ser criadas no sul da Síria e pede que esta missão seja cumprida pelos EUA.

Homem segura o cartaz que diz Obrigado, Rússia, que restaurou o equilíbrio no mundo durante a manifestação na Síria em apoio da Rússia (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
EUA: Rússia tem uma responsabilidade especial no processo político na Síria
De acordo com jornal israelense Haaretz, Israel apoiou, em geral, a ideia de criar uma zona de desescalada na junção das fronteiras da Síria, Jordânia e Israel. Esta iniciativa, segundo Israel, é uma forma de parar os confrontos armados junto às suas fronteiras, não permitindo o surgimento nesta zona de forças do Irã, do movimento libanês Hezbollah e da milícia xiita que combate ao lado do presidente sírio.

"Uma das preocupações de Israel é como será garantido o cessar-fogo nas fronteiras de Israel e da Jordânia e quem será responsável por isso. A Rússia propôs que esse trabalho no sul da Síria seja feito por seu exército. Israel é categoricamente contra isso", destaca a edição citando uma fonte anônima entre altos funcionários israelenses.

"Israel preferiria que o regime de cessar-fogo no sul da Síria fosse controlado pelas tropas americanas. A Administração do presidente Trump está examinando esta ideia, mas ainda não tomou a decisão", continua Haaretz.

Soldados de Israel nas Colinas de Golã, 6 de setembro de 2016 - Sputnik Brasil
Ministro da Defesa de Israel adverte Síria e Líbano: 'não nos provoquem'
Segundo a edição, as negociações estão sendo realizadas entre a Jordânia, a Rússia e os EUA. Israel não participa muito ativamente delas, mas é informado e tenta coordenar suas ações com a parte norte-americana. No entanto, o próprio país não quer participar na proteção da zona de desescalada e exige que as conversações sobre tal zona se realizem fora das negociações de Astana e sem participação da Turquia e do Irã.

A fonte do Haaretz acrescentou que Israel quer conhecer todo o pacote relativo às zonas de desescalada para poder decidir que posição o país assumirá.

A regularização na Síria deverá ser um dos temas principais do encontro entre Vladimir Putin e Donald Trump no âmbito da cúpula de G20 que decorre em 7 e 8 de julho em Hamburgo, Alemanha.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала