Provocações da Coreia do Norte podem pôr fim a armistício de 64 anos, diz general dos EUA

© REUTERS / Kim Hong-JiSoldado sul-coreano passa por uma TV que transmite uma reportagem a respeito do mais recente teste com mísseis da Coreia do Norte. Dia 7 de junho de 2017
Soldado sul-coreano passa por uma TV que transmite uma reportagem a respeito do mais recente teste com mísseis da Coreia do Norte. Dia 7 de junho de 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A ameaça de uma guerra de proporções imprevisíveis parece mais próxima a cada nova provocação da Coreia do Norte, declarou o general norte-americano Vicent K. Brooks, segundo declarações publicadas pela agência sul-coreana Yonhap.

Após o lançamento de um míssil balístico intercontinental (ICBM, na sigla em inglês), autoridades norte-americanas e sul-coreanas destacaram que Pyongyang ameaça, a cada novo teste militar, o armistício que já dura 64 anos na Península Coreana.

“O autocontrole, que é uma escolha, é tudo o que separa o armistício e a guerra”, avaliou Brooks, comandante da Coreia das Forças dos EUA e do Comando das Forças Combinadas dos aliados, em uma declaração conjunta com o general sul-coreano Lee Sun-jin, presidente do Estado-Maior Conjunto do Sul.

Um dia depois do lançamento do míssil norte-coreano Hwasong-14, as forças militares dos EUA e da Coreia do Sul realizaram exercícios conjuntos com testes balísticos, no que Brooks chamou de “mostra de força” ao governo norte-coreano. Pyongyang condenou a atividade.

Imagem do Hwasong-14, míssil que a Coreia do Norte afirma ser de longo alcance (intercontinental), em teste realizado em 4 de julho de 2017 - Sputnik Brasil
ICBM de Pyongyang: quais serão as consequências após mais um teste balístico?

“Podemos mudar nossa escolha quando assim ordenado pelos líderes nacionais da nossa aliança. Seria um erro grave para alguém acreditar em qualquer coisa em contrário”, complementou o general sul-coreano Lee Sun-jin, em tom de alerta direcionado ao regime de Kim Jong-un.

O fim dos exercícios militares conjuntos entre EUA e Coreia do Sul são uma das demandas colocadas pela Coreia do Norte para abrir um canal de diálogo com Washington e Seul. Já os dois países aliados exigem o congelamento dos programas militar e nuclear de Pyongyang antes de qualquer possibilidade de negociação.

O armistício (que é uma trégua, não um acordo de paz) entre as duas Coreias foi acertado em 1953, após três anos de guerra entre os dois países, com um saldo de quase 120 mil mortos, de acordo com a ONU. Todavia, as estimativas mais recentes apontam para mais de 1,6 milhão de mortos no conflito.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала