Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Promotoria do Equador fecha acordo com Odebrecht para obter provas de corrupção no país

© REUTERS / Carlos Garcia RawlinsLogo da Odebrecht em obras em Caracas, Venezuela
Logo da Odebrecht em obras em Caracas, Venezuela - Sputnik Brasil
Nos siga no
A promotoria do Equador chegou a um acordo com a Odebrecht para obter provas e documentos que permitem encontrar os envolvidos na rede de subornos que construtora brasileira construiu no país e, até agora, deixou seis pessoas presas.

Placa da Construtora Odebrecht na Vila Olímpica e Paralímpica no Rio de Janeiro - Sputnik Brasil
República Dominicana prende envolvidos em corrupção da Odebrecht
"A promotoria assinou um acordo de cooperação com a empresa Odebrecht e executivos e ex-executivos da companhia", afirmou o Procurador-Geral Carlos Baca Mancheno à repórteres após retornar do Brasil nesta sexta-feira (9).

O procurador afirmou que o convênio entrou em "plena vigência" no dia 8 de junho e é exclusivamente de material penal. O objetivo é permitir o órgão governamental "acessar todas as provas, documentos e outros dados de suporte que permitem levar à justiça pessoas que estiveram envolvidas neste esquema de corrupção transnacional".

Mauricio Funes e a esposa brasileira Vanda Pignato - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Corrupção tipo exportação: Caixa 2 da Odebrecht financiou campanha em El Salvador
Bacca afirmou de "nenhuma maneira" o acordo concederá imunidade a nenhuma pessoa porque "absolutamente ninguém ficará imune a ações judiciais e legais que devem realizadas pela promotoria".

Entretanto, os termos do acordo permanecerão em sigilo "porque assim ordena a lei". Entre as novas informações obtidas estão "gravações de áudio, vídeo, e uma abundante quantidade de documentos".

Segundo o Departamento de Estado dos EUA, a empreiteira brasileira teria pago subornos de mais de U$ 33 milhões a funcionários públicos em troca de contratos governamentais.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала