Japão exige que EUA cancelem exercícios militares na ilha de Okinawa

© AFP 2022 / Yoshikazu TSUNOMilitares norte-americanos junto a caças F-22A Raptor da Força Aérea dos EUA na base militar estadunidense de Kadena, na ilha de Okinawa, Japão
Militares norte-americanos junto a caças F-22A Raptor da Força Aérea dos EUA na base militar estadunidense de Kadena, na ilha de Okinawa, Japão - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A ministra da Defesa do Japão, Tomomi Inada, exigiu cancelar os exercícios de tropas paraquedistas perto da ilha japonesa de Okinawa, planejados para o período entre 31 de maio e 1° de junho pelo comando das Forças Armadas dos EUA deslocadas no país.

Primeiro-ministro do Japão Shinzo Abe durante discurso em Tóquio - Sputnik Brasil
Premiê japonês: Japão e EUA adotarão medidas concretas para conter a Coreia do Norte
De acordo com os dados do canal de TV NHK, a ministra sublinhou que o comando militar norte-americano enviou um aviso aeronáutico NOTAM (NOtice To AirMen, na sigla em inglês) à administração local de aviação civil, embora os dois países tenham um acordo conforme o qual os EUA devem avisar sobre os treinamentos pelo menos com 7 dias de antecedência.

"Pedimos aos EUA que cancelem os exercícios e suspendam os avisos aeronáuticos. Por enquanto, não recebemos resposta da parte norte-americana", disse a ministra da Defesa do Japão.

Na ilha de Okinawa estão instalados 25,8 mil militares norte-americanos e 19 mil membros de suas famílias e civis dos EUA. Em Okinava estão localizadas 70% de todas as instalações militares dos EUA no Japão, embora a ilha represente somente 1% do território do Japão. Os últimos exercícios de tropas paraquedistas da Força Aérea dos EUA na ilha de Okinawa foram realizados no fim de abril, apesar do descontentamento dos habitantes.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала