EUA descartam solução militar contra Coreia do Norte em estratégia da era Obama

© Sputnik / Ilia Pitalev / Abrir o banco de imagensUm grupo de lançadores múltiplos de foguetes M-1985 do Exército Popular da Coreia é visto durante desfile militar em finais de abril em Pyongyang
Um grupo de lançadores múltiplos de foguetes M-1985 do Exército Popular da Coreia é visto durante desfile militar em finais de abril em Pyongyang - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O governo dos Estados Unidos definiu uma política de quatro estratégias para lidar com a Coreia do Norte e o seu programa nuclear, e não há qualquer previsão do uso de forças militares para pressionar Pyongyang, informou a agência sul-coreana Yonhap nesta sexta-feira.

O plano com quatro pontos centrais foi aprovado pelo presidente norte-americano Donald Trump, sendo apresentado nesta semana a um grupo de parlamentares da Coreia do Sul em Washington. A proposta contempla “toda a pressão possível” para lidar com os norte-coreanos.

Apresentado por Joseph Yun, representante especial da Casa Branca para políticas norte-coreanas, o plano prevê não reconhecer a Coreia do Norte como um estado nuclear; impor toda sanção possível e pressão; não patrocinar uma mudança de regime; e buscando uma solução por meio do diálogo ao final.

“Isso significa que o governo Trump pode ter descartado uma opção militar para o regime de Kim Jong-un, que tem aumentado as ameaças militares com uma série de lançamentos de mísseis balísticos e testes nucleares. Em geral, parece estar em consonância com a estratégia do governo Obama”, publicou a agência sul-coreana.

Trump seguiu as instruções dadas em um relatório do Departamento de Estado, há duas semanas, de acordo com o que Yun repassou ao parlamentar sul-coreano Kim Kwan-young, presente ao encontro entre autoridades dos dois países em Washington.

Presidente dos EUA Donald Trump reage após proferir o seu primeiro discurso em uma sessão conjunta na Câmara dos Representantes em Washington, EUA, 28 de fevereiro de 2017 - Sputnik Brasil
Para Donald Trump, Coreia do Norte é um 'grande problema que será resolvido'

O alto risco de retaliações importantes contra aliados – Coreia do Sul e Japão – e a possibilidade de desencadear um conflito nuclear podem ter tido um peso na decisão de Trump em recuar da promessa de usar “todas as opções” contra Pyongyang.

De acordo com a Yonhap, o presidente sul-coreano Moon Jae-in estaria “confuso” com a política de idas e vindas de Washington para com o regime de Kim Jon-un. A expectativa é que muitas das dúvidas sejam esclarecidas em junho, quando Moon visitará a Casa Branca.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала