China desmente informação sobre 100 dias para influenciar Coreia do Norte

© AP Photo / Alex BrandonDonald Trump, presidente dos EUA e Xi Jinping, seu homólogo chinês falam depois do encontro realizado em 7 de abril de 2017 em Mar-a-Lago
Donald Trump, presidente dos EUA e Xi Jinping, seu homólogo chinês falam depois do encontro realizado em 7 de abril de 2017 em Mar-a-Lago - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Na quarta-feira (24), o representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang, desmentiu a informação divulgada pela mídia segundo a qual a China teria pedido aos EUA 100 dias para exercer pressão económica sobre a Coreia do Norte.

Mais cedo, o jornal japonês Asahi tinha informado que esse assunto fora discutido no decurso do encontro entre os presidentes dos EUA, Donald Trump e da China, Xi Jinping.

"Essa informação não corresponde à realidade", declarou Lu Kang, respondendo a uma questão dos jornalistas sobre o tema.

Soldados sul-coreanos de guarda em um posto de controle na Ponte da Grande Unificação, que leva à aldeia de tréguas Panmunjom, ao sul da zona desmilitarizada que separa as duas Coreias, em Paju, na Coreia do Sul - Sputnik Brasil
Coreia do Sul determina objeto não identificado lançado da Coreia do Norte
Segundo dados de Asahi, os EUA insistiram na introdução de medidas mais rigorosas em relação à Coreia do Norte, visto que 90% do comércio exterior norte-coreano é feito com a China. Caso Pequim não o fizesse, Washington ameaçou alargar as sanções impostas contra a Coreia do Norte às empresas e instituições financeiras chinesas que cooperam com este país. Nesse caso, as empresas não conseguiriam fazer negócios com os seus parceiros norte-americanos. Em resposta, a China pediu aos EUA para que lhe dessem um prazo de 100 dias — semelhante àquele que foi acordado para o comércio exterior.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала