Egito é a favor da criação de uma 'OTAN árabe', mas contra confrontação com Síria

© REUTERS / The Egyptian Presidency/Handout via Reuters/FilesO presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi e o rei Salman da Arábia Saudita apertam as mãos durante a cerimônia de recepção no palácio presidencial egípcio, no Cairo, no Egito (foto de arquivo)
O presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi e o rei Salman da Arábia Saudita apertam as mãos durante a cerimônia de recepção no palácio presidencial egípcio, no Cairo, no Egito  (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente dos EUA Donald Trump visitou recentemente a Arábia Saudita, onde teve lugar a cúpula de líderes de países muçulmanos e árabes. Um deputado egípcio comenta a posição do seu país em entrevista à Sputnik Árabe.

A Saudi Aramco employee sits in the area of its stand at the Middle East Petrotech 2016, an exhibition and conference for the refining and petrochemical industries, in Manama, Bahrain, September 27, 2016. - Sputnik Brasil
Acordos assinados entre EUA e Arábia Saudita totalizam US$ 280 bilhões
No âmbito da cúpula, o rei saudita disse que o encontro com o presidente dos EUA "reforçará a aliança contra o extremismo e terrorismo". Donald Trump, por sua vez, afirmou que os EUA estavam buscando criar "coalizões de nações" contra o terrorismo.

Ahmed Ismail, membro do Conselho de Defesa e Segurança Nacional do parlamento egípcio, contou à Sputnik Árabe que em Riad se estava decidindo a futura distribuição de forças na região e que foi por essa razão que o presidente do Egito Abdel Fattah al-Sisi foi à cúpula.

"O papel principal do Egito é restabelecer o equilíbrio de forças no Oriente Médio e proteger os países do Golfo Pérsico de ameaças externas. Ao mesmo tempo, o Egito não acredita nas afirmações da parte norte-americana".

Rei da Arábia Saudita Salman bin Abdulaziz Al Saud sauda o presidente norte-americano Donald Trump and a primeira dama Melania Trump quando eles chegam ao Aeroporto Internacional Rei Khalid em Riad, Arábia Saudita, maio 20, 2017 - Sputnik Brasil
Israel está preocupado com contratos militares entre EUA e Arábia Saudita
"O presidente Abdel Fattah al-Sisi e o Estado do Egito confirmaram a necessidade de resolver a crise síria pacificamente e não pela força. Foi abordada a questão da criação de uma "OTAN árabe". O Egito irá fazer parte dela, mas se manifesta contra uma confrontação com a Síria, pois na Síria se pode lutar apenas contra o terrorismo. Além disso, a agenda incluiu a questão das zonas de influência e da futura estratégia na região, por isso a presença do Egito era indispensável", disse Ahmed Ismail.

Quanto a Donald Trump, o Egito conhece muito bem as particularidades da política norte-americana. As pessoas e os presidentes mudam, mas a política e os objetivos continuam os mesmos. De acordo com o deputado, o presidente Abdel Fattah al-Sisi sabe isso muito bem e vai agir conforme os interesses nacionais.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала