Ex-chefe da inteligência: Trump é um 'idiota útil' para os russos

© AP Photo / Evan VucciPresidente Donald Trump assina as suas três primeiras ordens executivas na Casa Branca, em Washington, 23 de janeiro 2017
Presidente Donald Trump assina as suas três primeiras ordens executivas na Casa Branca, em Washington, 23 de janeiro 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente norte-americano Donald Trump desempenha o papel do "idiota útil" para os russos, disse o ex-chefe da Agência de Segurança Nacional e da CIA general Michael Hayden em entrevista ao jornal alemão Bild am Sonntag.

"Poucos dias antes das eleições [nos EUA], eu tentava entender a estranha afeição de Donald Trump por Vladimir Putin. Ele era aquela pessoa que Putin e os russos chamam de 'tolo útil' ou 'idiota útil'. Este termo dos tempos da Guerra Fria se refere a uma pessoa ingênua que o Kremlin controla e pode usar para beneficiar a Rússia. Agora, passados seis meses, e com grande decepção, se pode dizer que o termo ‘idiota útil’ está sendo uma descrição bastante precisa", afirmou o ex-chefe da CIA.

Ex-candidata democrata à presidência, Hillary Clinton, com seu marido, ex-presidente dos EUA, Bill Clinton, durante a cerimônia de posse de Trump, em 20 de janeiro de 2017 - Sputnik Brasil
Será que Hillary Clinton é 'agente russa'?
Segundo Hayden, o despedimento do procurador-geral dos EUA e do diretor do FBI [Departamento Federal de Investigação], que "se pronunciavam abertamente com posturas políticas diferentes da da administração", faz com que a situação nos EUA fosse "um pouco parecida com a da Nicarágua".

O ex-diretor da CIA acredita que "a inteligência norte-americana parte do princípio que há grande probabilidade de a Rússia ter influenciado a campanha eleitoral nos EUA", nomeadamente, não a contagem dos votos, mas o decurso da campanha. Ele afirmou que a Alemanha também devia "recear" a interferência nas eleições parlamentares que se vão realizar em 24 de setembro e a inteligência alemã deve "dar passos para identificar os atacantes".

A inteligência norte-americana tinha acusado a Rússia de tentar influenciar as presidenciais no país em 2016. A Rússia negou várias vezes as acusações, o porta-voz do Kremlin as classificou como "absolutamente sem fundamento".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала