Erdogan: Turquia não precisa de autorização dos EUA para responder à ameaça curda

© AFP 2022 / ADEM ALTAN Presidente turco Recep Tayyip Erdogan discursa na cerimônia de entrega de prêmios em Ancara, Turquia, 3 de novembro de 2016
Presidente turco Recep Tayyip Erdogan discursa na cerimônia de entrega de prêmios em Ancara, Turquia, 3 de novembro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Ancara tenciona tomar medidas uniliterais contra as forças de autodefesa dos curdos sírios – as Unidades de Proteção Popular (YPG) em caso de qualquer agressão por parte deles, não necessitando da aprovação de outros países, declarou o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan no fim das negociações com o presidente norte-americano, Donald Trump.

Ambulância turca (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Pelo menos 18 pessoas ficaram feridas em um acidente com ônibus na Turquia (VÍDEO)
As negociações entre Donald Trump e Recep Tayyip Erdogan decorreram na terça-feira (16) em Washington em meio à escalada de discordâncias entre os dois países. Essas contradições foram provocadas pela lei autorizada por Donald Trump segundo qual os EUA vão armar os destacamentos curdos no combate ao Daesh (organização terrorista proibida na Rússia). Na ocasião, Erdogan pediu que os EUA "anulassem imediatamente o plano", pois os destacamentos curdos na Síria estão ligados ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), visto como uma organização terrorista por Ancara e Washington.

"Nossa posição é clara: caso sejam realizados quaisquer ataques por parte das YPG contra a Turquia, iremos agir sem pedir autorização a ninguém", afirmou Erdogan aos jornalistas alemães, falando na embaixada em Washington.

Avião de transporte dos EUA na base aérea da OTAN em Incirlik, na Turquia - Sputnik Brasil
Alemanha pede ajuda a Washington para resolver briga com Turquia
Segundo dados do jornal Sabah, a Turquia não vai participar da operação para libertar do Daesh a cidade síria de Raqqa, pois os EUA decidiram que as YPG deveriam tomar parte nela.

"Já lhes dissemos que não consideramos a cooperação com a organização terrorista uma decisão razoável… Acredito que eles (os EUA) ainda batam a nossa porta devido à questão síria", destacou o presidente turco.

Além disso, ele sublinhou que a Turquia vai manter sua presença na Síria e no Iraque.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала