Legisladores suecos dizem 'não' às pausas para sexo no trabalho

Nos siga noTelegram
No início deste ano, a Suécia estava à beira de se tornar a primeira nação a introduzir pausas no trabalho destinadas a fazer sexo. Passados vários meses de consideração, a proposta foi rejeitada, dececionando os trabalhadores suecos.

Tiafoe - Sputnik Brasil
Casal resolve fazer sexo durante jogo de tênis e gritos vazam em transmissão de TV (VÍDEO)
Em fevereiro, o social-democrata Per-Erik Muskos, de 42 anos, conselheiro de Overtornea, município na fronteira sueco-finlandesa com aproximadamente 2.000 habitantes, propôs introduzir pausas pagas de uma hora no horário dos trabalhadores para que os empregados pudessem ir para casa e fazer sexo com seus parceiros. Muskos frisou as vantagens do sexo para a saúde e disse que a medida iria melhorar as relações familiares e aumentar a produtividade. Além disso, Muskos afirmou que também poderia ajudar a compensar as tendências demográficas negativas.

É de lamentar que uma decisão importante para os trabalhadores do mundo tenha sido recusada pela prefeitura de Overtornea.

"Não acho que um empregador possa decidir pelo trabalhador quando fazer sexo. Simplesmente esta não é uma questão para o município", disse Tomas Vedestig, do conselho municipal de Overtornea, à emissora nacional sueca SVT.

Enquanto Muskos chamava o sexo de "uma excelente forma de fitness", lamentando o fato de "se ter tornado um bem raro atualmente", Vedestig acredita que a medida precisa de muitos fatores conjugados, a fim de ter êxito. De acordo com Vedestig, mesmo se ambos os parceiros voltassem para casa ao mesmo tempo, não há garantia de que eles utilizassem o tempo para esse fim concreto.

Embora a proposta tenha sido recusada pelos funcionários municipais, teve o efeito de atrair a atenção internacional para o pequeno município no norte da Suécia.

#övertorneå #winter #wintersun #wintersunset #snow #village

Публикация от Hind (@hindogram) Апр 30 2017 в 1:37 PDT

"Não consigo dizer quantos jornalistas de vários países me entrevistaram, até mesmo a BBC entrou em contato conosco, e próprio Donald Trump mencionou essa proposta", disse Tomas Vedestig, alegando que a proposta tinha drenado muita energia e desviado o foco de outras questões importantes em Overtornea.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала