OTAN mergulha em 'histeria e estupidez' devido aos próximos exercícios russo-bielorrussos

© Sputnik / Pavel Gerasimov / Abrir o banco de imagensSoldados russos durante treinamento
Soldados russos durante treinamento - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A histeria está aumentando na OTAN à medida que se aproximam os exercícios militares conjuntos da Rússia e Bielorrússia Zapad 2017. Contudo, a Ucrânia está tentando tirar proveito da tensão crescente.

O analista político Yevgeny Krutikov explica, em um artigo para a edição Vzglyad, por que todos os medos por causa destas manobras são "sinceramente bobos".

A razão por trás dessa histeria é que os exercícios estão programados para perto do chamado Suwalki Gap, que é como a OTAN e o Pentágono denominaram "o lugar mais vulnerável" da Aliança. Se trata de um corredor bielorrusso entre a Lituânia e a Polônia, através do qual teoricamente a Rússia se poderia unir ao enclave de Kaliningrado. Este fato tornou este trecho de terra em uma preocupação central de todos os Estados membros da OTAN.

O secretário do Conselho de Segurança e Defesa Nacional da Ucrânia, Aleksandr Turchinov, garante que o objetivo das manobras conjuntas russo-bielorrussas é "verificar a capacidade das tropas para realizarem operações em grande escala sob severas restrições de tempo". Segundo ele, está previsto "criar o corredor de Kaliningrado, o que nas condições atuais não é possível sem uma agressão contra a Lituânia e a Polônia".

Soldados russos durante exercícios militares na região da cidade de Chelyabinsk. Foto de arquivo - Sputnik Brasil
Lituânia considera exercícios militares Zapad 2017 uma ofensiva contra OTAN
O presidente da Bielorrússia, Aleksandr Lukashenko, por sua vez, disse que os comentários negativos sobre as manobras refletem o desejo de violar a unidade política e militar entre Moscou e Minsk. Para mostrar a transparência e ausência de más intenções, para os exercícios foram convidados alguns observadores da OTAN, mas também este passo eles conseguiram interpretar mal, escreve Krutikov. No ponto de vista da imprensa ocidental, isso é nada mais que uma tentativa de Lukashenko para se defender de uma possível "invasão das forças de Putin".

"Parece que o Ocidente acredita que entre Moscou e Minsk está acontecendo algum tipo de conflito do qual se pode tirar proveito. Não obstante, ainda há pessoas que sabem que a Rússia e Bielorrússia formam um espaço militar unificado, cuja sede fica em Moscou. Assim, qualquer questão relativa ao assunto deve ser esclarecida enviando uma carta para esse endereço", ironiza o autor do artigo.

O hipotético corredor de Suwalki se tornou a principal ameaça dos últimos dois anos. Não importa que a zona histórica de Suwalszczyzna seja uma floresta selvagem, com lagos e pântanos abandonados pela Polônia com uma infraestrutura deficiente. Agora, segundo a OTAN, a faixa deve ser supostamente defendida até o último soldado, continua Krutikov.

Soldado polonês durante os exercícios da OTAN na Polônia - Sputnik Brasil
Proximidade perigosa: OTAN inicia manobras militares a 50 km da fronteira russa
Todo o exército da Lituânia (após a restauração do serviço militar obrigatório, são cerca de 10.000 efetivos), além do batalhão holandês-alemão-norueguês das tropas da OTAN estacionadas na Lituânia de forma permanente, estão em alerta. Além disso, os Estados Unidos planejam colocar temporariamente na Lituânia o sistema antimíssil Patriot, o que não pode ser uma coincidência.

O autor conclui que as invenções de alguns países ocidentais não afetarão os planos da Rússia e as manobras terão lugar exatamente do mesmo modo como foram planejadas, desde o dia 14 até ao dia 20 de setembro.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала