- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Força Nacional começa o combate à violência no Rio

© Fernando Frazão/Agência BrasilForça Nacional nas eleições
Força Nacional nas eleições - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Agentes da Força Nacional começaram nesta segunda-feira (15) o combate à violência no Rio. São 300 homens que foram enviados pelo governo federal e que vão atuar no patrulhamento de rodovias do Rio de Janeiro.

O envio da Força Nacional aconteceu após o pedido do governador Luis Fernando Pezão em conexão com os ataques de criminosos no início do mês, que deixaram nove ônibus incendiados na Avenida Brasil.

A Sputnik Brasil conversou com exclusividade com o Coordenador da Comunicação Social da Polícia Militar, major Ivan Blaz, que falou sobre a atuação da Força Nacional no combate à violência no Rio de Janeiro.

Bombeiros trabalham contra as chamas em caminhão incendiado por bandidos - Sputnik Brasil
Exclusivo: 'Reforço federal não contém violência no Rio'
"O 41° batalhão da Polícia Militar, que é a unidade que atua nesta região, realmente sofre, assim como todas as unidades da Polícia Militar, com a escassez de efetivo. Então o número de homens a serem aplicados no policiamento preventivo é realmente um déficit que a Polícia Militar tem, não só naquela região, mas em todo o Estado do Rio de Janeiro nos tempos atuais", afirmou Blaz. 

Segundo ele, a contribuição dos homens da Força Nacional será importante para realizar o policiamento preventivo. 

Foi destacado que o principal objetivo do apoio da Força Nacional é coibir o roubo de veículos e cargas, que atualmente representa o tipo de crime que mais vem financiando o narcotráfico e a compra de armas pelos traficantes do Rio.

"Já há alguns anos nós observamos que criminosos do tráfico de drogas vêm diversificando suas atividades econômicas e criminosas para outros segmentos […] Hoje já observamos que o roubo de carga, a revenda de material roubado, compõem, digamos assim, o leque de atividades criminosas que são responsáveis pelo financiamento dos marginais", acrescentou.  

Os agentes vão ficar no Rio por um período de 90 dias, mas a vontade do governo do Estado é de que esse prazo ainda possa ser prorrogado.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала