Aspiração à hegemonia: EUA iniciam reforço militar na região Ásia-Pacífico

© AFP 2022 / Toru YAMANAKAMilitares da Marinha dos EUA durante a cerimônia de descida da bandeiras norte-americana e japonesa em Camp Forester, perto da base militar de Futenma em Ginowan, na prefeitura de Okinawa, em 14 de novembro de 2014
Militares da Marinha dos EUA durante a cerimônia de descida da bandeiras norte-americana e japonesa em Camp Forester, perto da base militar de Futenma em Ginowan, na prefeitura de Okinawa, em 14 de novembro de 2014 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Pentágono apoiou o plano de investimentos de cerca de 8 bilhões de dólares adicionais, necessários para o reforço militar no Pacífico durante os próximos 5 anos, comunica o Wall Street Journal.

Os EUA podem aumentar a sua presença na zona Ásia-Pacífico através da modernização da sua infraestrutura militar, da realização de exercícios militares adicionais e do deslocamento de forças adicionais, comunica o WSJ

Rex Tillerson, novo secretário de Estado dos EUA - Sputnik Brasil
Especialista: com novo secretário de Estado, os EUA vão se focar mais na Ásia Central
O plano, batizado inicialmente como "Iniciativa de Estabilidade na Região Asiática do Pacífico", foi proposto pelo senador John McCain e apoiado por outros legisladores norte-americanos, bem como pelo secretário da Defesa dos EUA, James Mattis, e pelo chefe do Comando da Marinha da região, Harry Harris. 

"Esta iniciativa pode aumentar a capacidade militar dos EUA através dos financiamentos necessários para a correção das nossas posições na região e para o melhoramento da infraestrutura, bem como para o financiamento de exercícios adicionais", declarou McCain. 

​A administração de Trump exigiu fundos adicionais para os gastos militares neste ano financeiro e, em 2018, pretende aumentar os gastos em 54 bilhões de dólares, acrescenta o jornal.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала