Jovens refugiados se veem obrigados a se vender na Alemanha

© AFP 2022 / Robert ATANASOVSKI / Abrir o banco de imagensRefugiados do Afeganistão
Refugiados do Afeganistão - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A agência Sputnik Alemanha entrevistou Ralf Roetten, o diretor da organização Hilfe fuer Jungs e.V. (Ajuda para Rapazes, em alemão) que, entre outras tarefas, presta ajuda a jovens refugiados masculinos que se dedicam à prostituição na Alemanha.

Segundo Ralf Roetten, a prostituição entre jovens refugiados é um problema estudado.

"Os refugiados e os serviços sexuais são dois temas ligados inseparavelmente, porque por todo o mundo o trabalho na esfera da prostituição é uma de poucas possibilidades de os refugiados ganharem dinheiro facilmente, mesmo que eles não falem a língua do país de estadia e não tenham autorização para trabalhar", disse Roetten à Sputnik Alemanha.

Uma mulher prostituta - Sputnik Brasil
Petição quer legalizar prostituição na Ucrânia
Roetten reconhece que em países islâmicos a sexualidade é um tema tabu, mas os refugiados que chegam à Europa e são assistidos por organizações semelhantes à Hilfe fuer Jungs e.V. são esclarecidos sem problemas sobre as questões importantes ligadas, por exemplo, à saúde ou à necessidade de proteção que surgem por causa deste tipo de trabalho. Os obstáculos que surgem são os mesmos que entre jovens de países em que se observa uma forte influência da Igreja Católica ou Ortodoxa, diz ele, por isso este problema não toca só os refugiados dos países islâmicos.

A organização de Roetten já trabalha há 25 anos com refugiados que estão envolvidos em prostituição, e nos últimos anos o número desses jovens refugiados não aumentou, assim, segundo ele, a política também não influencia muito a questão.

Portanto, de acordo com Roetten, este tema não está em destaque – é "uma parte completamente normal da vida dos refugiados".

Refugiados sírios estão à espera de transporte após atravessar a fronteira com a Turquia da cidade síria Tal Abyad, em 10 de junho de 2015 - Sputnik Brasil
UE precisa da Turquia para controlar refugiados, não para ser um estado-membro
De acordo com Roetten, o problema mais importante, a que os políticos devem prestar atenção, é a atitude pública perante os serviços sexuais. A sociedade não mostra uma atitude aberta e respeitosa perante esta profissão. Também, sublinha Roetten, existe um outro fenômeno social que faz os refugiados se dedicarem à prostituição – são os problemas com a demora na concessão dos estatutos de asilo e de refugiado. Eles simplesmente não têm outras opções.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала