Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Interferência da Rússia na eleição é ficção total, diz Trump na TV

© AFP 2021 / Odd Andersen, Jim WatsonO Presidente da Federação da Rússia Vladimir Putin e seu homólogo dos EUA Donald Trump
O Presidente da Federação da Rússia Vladimir Putin e seu homólogo dos EUA Donald Trump - Sputnik Brasil
Nos siga no
O presidente dos Estados Unidos Donald Trump afirmou que acha possível alcançar um acordo com a Rússia e refutou no que chamou de “ficção total” as ponderações de que o Kremlin teria influenciado nas eleições presidenciais norte-americanas de 2016.

“Vou atuar com a Rússia. Podia ter sido com a China, podia ter sido com outros grupos diferentes”, disse Trump, em entrevista à rede norte-americana CBS que foi ao ar neste domingo.

Entretanto, Trump não precisou sobre quais acordos com os russos ele se referia exatamente. As tensões com Moscou subiram consideravelmente, sobretudo após o ataque com mísseis contra uma base aérea na Síria, este um país aliado da Rússia.

Na última semana, o vice-chanceler russo Sergei Riabkov comunicou que o Kremlin trabalha em uma agenda para promover o encontro entre o presidente russo Vladimir Putin e Trump, mas não há ainda uma data definida para tal encontro.

Já foi descartada qualquer possibilidade desse encontro aconteceu na cúpula dos países do G20, em julho, na Alemanha.

“Ficção total”

Questionado sobre a suposta interferência russa nas eleições dos Estados Unidos, Trump chamou o conceito de “ficção total”.

“Se não se consegue capturar um hacker em flagrante, é difícil determinar quem realizou o roubo [de informações]”, avaliou o presidente norte-americano.

Presidente dos EUA Donald Trump reage após proferir o seu primeiro discurso em uma sessão conjunta na Câmara dos Representantes em Washington, EUA, 28 de fevereiro de 2017 - Sputnik Brasil
Trump: estes 100 dias na presidência foram os mais bem sucedidos na história dos EUA

Em outubro do ano passado, um mês antes das eleições para a Casa Branca, agências de inteligência do país acusaram os russos de terem interferido no processo eleitoral, supostamente atacando os servidores do Partido Democrata.

Três meses antes, o Wikileaks obteve acesso à correspondência dos democratas e revelou favorecimentos da cúpula do partido à Hillary Clinton, em detrimento ao adversário dela nas prévias, o senador Bernie Sanders.

Da sua parte, a Rússia sempre negou qualquer interferência e classificou como absurdas as acusações a respeito.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала