Trump defende sanções mais duras para 'problema mundial chamado Coreia do Norte'

© REUTERS / Dominick Reuter Candidato presidencial do Partido Republicano, Donald Trump (foto de arquivo)
Candidato presidencial do Partido Republicano, Donald Trump (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente dos Estados Unidos Donald Trump defendeu nesta segunda-feira que o Conselho de Segurança da ONU adote medidas mais duras contra a Coreia do Norte. As novas medidas visariam atingir o programa nuclear e o de mísseis de Pyongyang, que se encontram em um status “inaceitável”, segundo Trump.

“O conselho precisa estar pronto para impor sanções adicionais e mais duras sobre a Coreia do Norte no que diz respeito aos seus programas de mísseis e nuclear”, afirmou o presidente norte-americano em um encontro com embaixadores em Washington.

Para Trump, o regime de Kim Jong-un representa “uma real ameaça para o mundo”. “A Coreia do Norte é um grande problema mundial. E é um problema que temos que resolver de uma vez por todas”.

Uma nota da missão dos EUA na ONU reforçou o apelo feito por Trump. “Nós encorajamos os membros do Conselho de Segurança a indicarem a intenção coletiva de tomar medidas significativas para contra a República Popular Democrática da Coreia no futuro se ela continuar violando as suas obrigações internacionais”, diz o comunicado.

Militares são vistos em cima de um blindado durante festejos do 105 aniversário de Kim Il-sung - Sputnik Brasil
China pede que EUA e Coreia do Norte 'apertem os freios' no discurso belicista

Nesta sexta-feira uma reunião temática do conselho deve discutir as tensões na Península Coreana. No encontro são esperadas as participações do Secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, e do secretário-geral da ONU, Antonio Guterres.

Contato com Merkel

A situação com a Coreia do Norte também foi tema de uma conversa nesta segunda-feira entre Donald Trump e a primeira-ministra da Alemanha Angela Merkel. Segundo comunicado da Casa Branca, a preocupação com a situação é “mútua”, assim como no que tangem os conflitos na Síria e no Iêmen.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала