Ex-chanceler da Letônia: fomos nós, o Ocidente, quem deu origem ao terrorismo

© AP Photo / Christophe EnaUm vidro quebrado por uma bala na avenida Champs-Élysées, em Paris, em 21 de abril de 2017
Um vidro quebrado por uma bala na avenida Champs-Élysées, em Paris, em 21 de abril de 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os países do Ocidente, entre eles a Letônia, geraram a onda de terrorismo que assusta todo o mundo, assegurou o ex-chanceler letão, Janis Jurkans, comentando à Sputnik o recente atentado em Paris.

"As guerras no Iraque, Afeganistão e Síria, das quais a Letônia também participa, constituem o próprio terror. Fomos nós, o Ocidente, quem deu origem ao terrorismo. Nós começamos a guerra na Síria, nós destruímos o Iraque", assinalou.

"Os militares que fugiram do Iraque organizaram o Daesh e declararam guerra santa contra nós. Nós chamamos isso de terrorismo, eles — de guerra de libertação, ou seja, 'fora da nossa terra, parem de tirar nosso petróleo, vão embora. Deixem-nos ser donos da nossa terra'. Fomos nós que contribuímos para a morte de [ex-líder líbio] Muammar Kadhafi. No tempo dele, na Líbia havia educação grátis, as crianças andavam na escola. E agora? É um país em ruínas. Começamos as guerras, mas não sabemos como terminá-las", acredita Jurkans.

Na opinião do ex-ministro letão, a receita da luta contra o terrorismo é simples: não se deve iniciar as guerras. O político contou que há pouco foi a Londres e lá conversou com um islamista.

"Ele me disse: 'Você destruiu minha casa, queimou minhas oliveiras, roubou minha terra, matou meus familiares e tirou meu emprego. Desmantelou o meu país, humilhou o meu povo. Sim, você me permitiu morar no seu país, mas não me deu as mesmas oportunidades que você tem. E ao mesmo tempo me está impondo seu modelo de vida", partilhou Jurkans.

A polícia francesa patrulha a avenida Champs-Elysées em Paris após ataque terrorista do Daesh (sexta-feira, 21 de abril de 2017) - Sputnik Brasil
Nota de apoio ao Daesh é encontrada no corpo de terrorista de Paris
O ex-chanceler frisou que os jornalistas muitas vezes lhe perguntam como se pode travar o avanço do terrorismo. "A resposta é simples — parem de participar dele", exclamou o político letão.

Em 20 de abril, houve um tiroteio em Paris, na sequência do qual foi morto um policial, sendo que seu colega ficou ferido. A organização terrorista Daesh, proibida na Rússia, reivindicou o atentado.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала