Chanceler sírio: 'Valorizamos a postura da Rússia quanto a agressão dos EUA'

© Sputnik / Abrir o banco de imagensMinistro das Relação Exteriores da Rússia Sergei Lavrov com o seu colega de pasta da Síria Walid Muallem
Ministro das Relação Exteriores da Rússia Sergei Lavrov com o seu colega de pasta da Síria Walid Muallem - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Segundo o ministro das Relações Exteriores da Síria, Damasco valoriza muito a posição da Rússia em relação à agressão dos EUA contra a Síria.

O USS Destroyer (DDG 78), comandante de mísseis guiados da Marinha dos EUA, conduz operações de ataque enquanto no Mar Mediterrâneo, que o Departamento de Defesa dos Estados Unidos disse que era parte do ataque com mísseis de cruzeiro contra a Síria - Sputnik Brasil
Rússia não deve revidar se EUA voltarem a bombardear a Síria
Damasco valoriza muito a posição da Rússia em relação à agressão dos EUA contra a Síria, disse o ministro do Exterior da Síria, Walid Muallem.

"Devo dar grande apreço à posição do governo e autoridades russos, o presidente Vladimir Putin e toda a nação russa amigável para a posição de princípio que a Rússia tomou em relação à agressão dos EUA", disse Muallem em conversa com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.

De acordo com Muallem, Damasco não acredita que o Ocidente concordará com a realização de uma inspeção da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPCW) sobre o ataque químico em Idlib.

"Convidamos os inspetores a realizar uma investigação, mas estamos certos de que o oeste não concordará com isso", disse Muallem durante uma reunião com Lavrov.

Militante da Frente al-Nusra com a bandeira do grupo na província de Idlib, Síria - Sputnik Brasil
Rússia suspeita que os EUA pretendem usar a Frente al-Nusra para derrubar Assad
Damasco acredita que o papel do processo de Genebra no assentamento sírio foi reduzido ao mínimo depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, chegou ao poder, acrescentou.

"Percebemos que quando o governo Trump chegou ao poder, o papel dos EUA no processo de Astana e de Genebra foi reduzido ao mínimo, o que significa que eles não querem o sucesso no processo de paz", disse Muallem durante uma reunião com o ministro das Relações Exteriores da Rússia Sergei Lavrov.

No dia 6 de abril, os Estados Unidos lançaram 59 mísseis de cruzeiro Tomahawk no aeródromo militar em Ash Sha'irat em resposta ao suposto uso de armas químicas na província de Idlib na Síria.

 Muallem, negou o envolvimento do governo no incidente de Idlib, afirmando que nunca usou armas químicas em civis ou terroristas que operam no país e nunca faria isso.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала