Incidente em Idlib deve ter investigação completa e imparcial, pedem Rússia e Irã

© REUTERS / Ammar AbdullahMembro da defesa civil respira via máscara de oxigênio depois do ataque na cidade de Khan Sheikhoun, na Síria, com alegado uso de armas químicas, 4 de abril de 2017
Membro da defesa civil respira via máscara de oxigênio depois do ataque na cidade de Khan Sheikhoun, na Síria, com alegado uso de armas químicas, 4 de abril de 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Rússia e Irã enfatizaram nesta segunda-feira que é necessária uma investigação imparcial a respeito do incidente com armas químicas na província síria de Idlib. A posição conjunta foi definida entre o ministro de Relações Exteriores russo Sergei Lavrov e o representante iraniano Mohammad Javad Zarif.

Em comunicado ao qual o Sputnik teve acesso, os ministros “concordaram em manter contatos próximos para futura coordenação de cooperação em temas urgentes da agenda bilateral e internacional”.

“Sergei Lavrov e Mohammad Zarif pediram uma investigação completa e imparcial sobre o incidente na província síria de Idlib que resultou em múltiplas baixas entre civis”, destacou outro trecho do comunicado.

No último dia 4, um incidente com armas químicas matou 80 pessoas e feriu outras 200 em Khan Shaykhun. Acusado pelo ataque, o governo liderado por Bashar Assad negou ter sido o responsável. Uma fonte do Exército sírio disse à Sputnik que as forças do governo não possuem armas químicas em seu arsenal.

Ruínas do hospital apoiado pela ogranização Médicos Sem Fronteiras, destruído em 15 de fevereiro, província de Idlib, Maaret al-Nuuman, Síria - Sputnik Brasil
Ministro da Defesa de Israel culpa Assad, mesmo sem provas, por ataque químico em Idlib

Em represália, os Estados Unidos lançaram 59 mísseis Tomahawk a partir de navios de guerra atracados no Mar Mediterrâneo contra a base síria de Shayrat, na província síria de Homs, na madrugada desta sexta-feira.

Dois dias antes, o Ministério de Defesa russo afirmou que um ataque aéreo da força aérea da Síria atingiu um armazém com armas químicas a serem entregues ao Iraque, pedindo assim uma investigação por parte do Conselho de Segurança da ONU.

O presidente russo Vladimir Putin considerou inaceitáveis as acusações contra o governo sírio quanto ao incidente em Idlib sem que as devidas investigações tenham sido realizadas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала