Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Netanyahu: 'Rússia e EUA devem cooperar na liquidação das armas químicas da Síria'

© AFP 2021 / SEBASTIAN SCHEINERO primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu
O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu - Sputnik Brasil
Nos siga no
O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou que existe uma oportunidade para a cooperação entre os EUA e a Rússia no desmantelamento do arsenal de armas químicas da Síria.

Manifestante pacifista mostra um cartaz contra o bombardeio no território sírio ordenado por Donald Trump, em Nova York, em 7 de abril de 2017 - Sputnik Brasil
O que Trump perdeu ao atacar base aérea síria?
O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, pediu hoje à comunidade internacional que ponha fim ao processo de desmantelamento do arsenal de armas químicas da Síria, acrescentando que ele vê possibilidades de cooperação entre a Rússia e os Estados Unidos nesta esfera.

"Há uma obrigação internacional, que remonta a 2013, de remover todas as armas químicas da Síria. Como podemos ver, ela não foi totalmente implementada, e exortamos a comunidade internacional a levar o trabalho até o fim, e esta é uma oportunidade para relações entre os EUA e a Rússia nesta esfera particular", disse o primeiro-ministro

Netanyahu ressaltou mais uma vez que Israel apoiou plenamente os ataques dos EUA contra o aeroporto da Síria, que veio como resposta ao suposto uso de armas químicas na província de Idlib, no início desta semana.

"Eles se fundamentaram em bases morais à luz de cenas violentas de Idlib, e para deixar claro que o uso de armas químicas tem seu custo", acrescentou Netanyahu.

Na noite de quinta-feira, os Estados Unidos lançaram 59 mísseis de cruzeiro Tomahawk no aeródromo militar em Ash Sha'irat. O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que o ataque foi uma resposta ao suposto uso de armas químicas na província de Idlib, na Síria, na terça-feira, o que resultou na morte de mais de 80 pessoas, um incidente que Washington culpa ao governo sírio.

Presidente chines, Xi Jinping, durante encontro com Donald Trump na Fórida, 6 de avril de 2017 - Sputnik Brasil
O que ataque contra base aérea síria tem a ver com visita do líder chinês aos EUA?
O Ministério da Defesa russo disse na quarta-feira que o ataque aéreo perto de Khan Shaykhun pela força aérea síria atingiu um armazém terrorista que armazenou armas químicas previstas para entrega no Iraque e pediu ao Conselho de Segurança da ONU que lance uma investigação adequada sobre o incidente.

O ministro das Relações Exteriores da Síria negou o envolvimento do governo no incidente de Idlib, afirmando que nunca usaria armas químicas em civis ou terroristas que operassem no país. Além disso, sob um acordo entre a Rússia e os Estados Unidos após o incidente com o gás sarin em 2013, Damasco aderiu à Convenção sobre a Proibição de Armas Químicas e concordou em destruir suas reservas sob a supervisão da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ).

Em janeiro de 2016, a OPAQ anunciou que todas as armas químicas na Síria haviam sido destruídas.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала