Assad: EUA tentaram elevar moral combativa dos terroristas ao bombardearem Síria

© REUTERS / SANAPresidente da Síria, Bashar Assad, faz um discurso durante uma entrevista com uma agência de notícias cubana
Presidente da Síria, Bashar Assad, faz um discurso durante uma entrevista com uma agência de notícias cubana - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Ao efetuarem um ataque de mísseis contra a base aérea na Síria, os EUA tentaram elevar a moral combativa dos terroristas, mas não conseguiram alcançar seu objetivo, afirmou o presidente sírio Bashar Assad durante uma conversa telefônica com seu homólogo iraniano Hassan Rohani.

Ruínas do hospital apoiado pela ogranização Médicos Sem Fronteiras, destruído em 15 de fevereiro, província de Idlib, Maaret al-Nuuman, Síria - Sputnik Brasil
Ministro da Defesa de Israel culpa Assad, mesmo sem provas, por ataque químico em Idlib
"Os EUA falharam em tentar alcançar seus objetivos através da agressão, visando elevar a moral combativa dos agrupamentos terroristas por eles apoiados, após as vitórias do Exército sírio e do seu povo que provaram estarem dispostos a aniquilar o terrorismo em cada canto do território sírio", afirmou Assad, citado pela agência nacional de notícias SANA.

Rohani, por sua vez, "expressou sua condenação firme da agressão americana à terra da Síria" e confirmou que "a agressão americana é uma violação grave da soberania síria e de todas as regras e acordos internacionais".

O líder iraniano adiantou que o Irã está ao lado do Estado sírio na luta contra o terrorismo, comunica a SANA.

Na noite de quinta (6) para sexta-feira (7), os EUA efetuaram um ataque com mísseis de cruzeiro contra o aeródromo de Shayrat, localizado na província síria de Homs, afirmando, sem apresentar quaisquer provas, que foi de lá que teria sido realizado o ataque químico na província de Idlib.

Pin com retrato dos presidentes da Síria, Bashar Assad, e da Rússia, Vladimir Putin - Sputnik Brasil
'EUA continuarão pressionando a Rússia e o Irã para levarem Assad à Justiça'
De acordo com o Pentágono, no total foram lançados 59 mísseis. O prefeito de Homs comunicou que morreram 9 pessoas: 5 militares e 2 civis de um povoado que fica perto da base aérea atacada.

Segundo informou o Ministério da Defesa russo, 2 militares sírios desapareceram, 3 morreram e 6 ficaram queimados na sequência da liquidação de incêndios. As Forças Armadas sírias, por sua vez, afirmaram que o acidente custou a vida a 10 militares sírios.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала