Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Ministro da Defesa de Israel culpa Assad, mesmo sem provas, por ataque químico em Idlib

© AFP 2021 / GHAITH OMRAN / AL-MAARRA TODAY Ruínas do hospital apoiado pela ogranização Médicos Sem Fronteiras, destruído em 15 de fevereiro, província de Idlib, Maaret al-Nuuman, Síria
Ruínas do hospital apoiado pela ogranização Médicos Sem Fronteiras, destruído em 15 de fevereiro, província de Idlib, Maaret al-Nuuman, Síria - Sputnik Brasil
Nos siga no
O ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, disse em entrevista ao jornal local, Yedioth Ahronoth, estar certo de que as forças do governo sírio e o presidente Bashar Assad foram os responsáveis pelo ataque químico na província de Idlib, no noroeste da Síria.

Vladimir Putin gesticula durante a sua coletiva de imprensa anual em 23 de dezembro de 2016 - Sputnik Brasil
Putin: acusações não devem ser feitas antes do fim das investigações do incidente em Idlib
"Os dois ataques com armas químicas contra civis na região de Idlib, na Síria, foram realizados por ordem direta e premeditada do presidente sírio, Bashar Assad, por aeronaves sírias. Afirmou isto com 100% de certeza", declarou Lieberman.

Lieberman criticou a indiferença da comunidade internacional, citando sua reação "zero" à situação, e cobrou uma resposta vigorosa ao ataque na Síria.

"O mundo precisa assumir a responsabilidade e, em vez de apenas falar, precisa fazer algo", lamentou Lieberman.

Na terça-feira, a Coalizão Nacional da Revolução Síria e as Forças de Oposição informaram que 80 pessoas morreram e cerca de 200 ficaram feridas durante um ataque com armas químicas em Idlib, atribuindo a culpa ao exército do governo sírio. Na terça-feira, uma fonte no exército sírio afirmou à Sputnik que o exército sírio não possuia armas químicas e que as alegações do ataque em Idlib poderiam fazer parte da propaganda anti-Damasco.

Membro da defesa civil respira via máscara de oxigênio depois do ataque na cidade de Khan Sheikhoun, na Síria, com alegado uso de armas químicas, 4 de abril de 2017 - Sputnik Brasil
Kremlin declara que tragédia em Idlib é vantajosa para terroristas
Em 20 de janeiro, Assad declarou que o governo do país nunca usou armas de destruição em massa, incluindo armas químicas, contra o povo sírio. Assad lembrou que em 2013 Damasco tinha concordado em destruir seus depósitos de armas químicas.

Após de um ataque químico em Ghouta, em 2013, o país aderiu à Convenção sobre a Proibição de Armas Químicas. Em janeiro de 2016, a Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) anunciou que todas as armas químicas na Síria foram destruídas.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала