Elite militar dos EUA considera fulcral se preparar para guerra no espaço

© Foto / NASAA Terra vista da Estação Espacial Internacional
A Terra vista da Estação Espacial Internacional - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Comando Estratégico dos EUA, USSTRATCOM (United States Strategic Command, em inglês) considera iniciar a preparação de militares do país para o combate no espaço aberto, informa o portal Space.com.

De acordo com Charles Richard, subcomandante do USSTRATCOM e vice-almirante da Marinha americana, a estratégia de "preparação sem provocação" poderia proteger os ativos espaciais do país, além de ajudar a prevenir conflitos no espaço.

Veículo de Teste Orbital X-37B, da Força Aérea americana, conectada ao foguete Atlas V, em Cabo Canaveral, na Flórida, EUA - Sputnik Brasil
Ônibus espacial X-37B considerado por muitos como arma do futuro bate recorde no espaço
"Assim como os ativos nucleares impedem a agressão […], temos que preservar uma posição especial que comunique a mesma mensagem estratégica", indicou Richard, citado pelo Space.com, durante uma apresentação no âmbito de uma conferência do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais de Washington.

O militar também acrescentou que "a melhor maneira de prevenir uma guerra é estar preparados para uma guerra", por isso os EUA "se assegurarão de que todo o mundo se dá conta da capacidade do país de ganhar qualquer tipo de guerra, inclusive as levadas a cabo no espaço".

Na opinião de Richard, a supremacia militar e espacial dos EUA está sendo ameaçada pela Rússia e pela China que "desenvolvem tecnologias antissatélite avançadas (ASAT, em inglês)". Desta maneira, segundo adiantou, o espaço já deixou de ser um "ambiente benigno".

"Embora não estejamos [agora participando] de uma guerra no espaço, não se pode dizer que estejamos em paz", expressou.

Entretanto, Charles Richard indicou que a confrontação entre as maiores potências "está de volta na agenda de hoje". Desta forma, os EUA têm que prevenir não somente um conflito, mas também "o mau comportamento" no espaço, considera o militar. O alto oficial também fez referência às provas de ASAT levadas a cabo em 2007 pela China, que criaram 3.400 pecas de descarte orbitais rastreáveis.

"Nosso objetivo é promover o acesso seguro ao espaço para que as gerações futuras o possam explorar", afirmou.

As sondas americanas se utilizam no reconhecimento, na comunicação em regiões remotas, na navegação de navios e veículos aéreos não tripulados, além da gestão de mísseis e bombas aéreas.

O Kremlin, por sua parte, promove a ideia de desmilitarização do espaço, mas os EUA bloquearam o projeto da resolução russa na Assembleia Geral da ONU.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала