China 'não quer ver' guerra comercial com EUA

Nos siga noTelegram
O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, disse nesta quarta-feira (15) que a China não quer uma guerra comercial com os Estados Unidos e que os dois países devem chegar a um acordo sobre as relações comerciais.

Relações sino-russas - Sputnik Brasil
Comércio bilateral entre Rússia e China emplaca novo recorde de crescimento
A China e os Estados Unidos devem fortalecer o diálogo para resolver suas diferenças, segundo afirmou nesta quarta-feira o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, em sua conferência de imprensa anual, realizada ao final da reunião anual do parlamento chinês.

Segundo o premiê, Pequim "não deseja ver uma guerra comercial contra Washington" e acredita que haja perspectivas promissoras para os laços sino-americanos.

O presidente dos EUA, Donald Trump, prometeu aumentar os impostos de importação sobre os produtos chineses para contrariar o que ele diz constituir práticas injustas de Pequim. O anúncio levantou preocupações de que a China poderia responder com medidas de retaliação, provocando uma guerra comercial entre os dois países.


Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала