Autoridades holandesas detém ministra turca após declará-la 'persona non grata'

© REUTERS / Dylan MartinezUm manifestante segura uma bandeira turca fora do consulado turco em Roterdã, onde uma multidão reuniu-se para aguardar a chegada do ministro da Família Turca, Fatma Betul Sayan Kaya, que decidiu viajar para Roterdã por terra depois que o ministro dos Negócios Estrangeiros turcos, Mevlut Cavusoglu, O governo holandês, em Roterdã, Holanda, 11 de março de 2017.
Um manifestante segura uma bandeira turca fora do consulado turco em Roterdã, onde uma multidão reuniu-se para aguardar a chegada do ministro da Família Turca, Fatma Betul Sayan Kaya, que decidiu viajar para Roterdã por terra depois que o ministro dos Negócios Estrangeiros turcos, Mevlut Cavusoglu, O governo holandês, em Roterdã, Holanda, 11 de março de 2017. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A ministra turca da Família e Assuntos Sociais foi declarada "estrangeira indesejável" e detida pelas autoridades holandesas para deportação para a Alemanha, informou a mídia.

A ministra turca da Família e dos Assuntos Sociais, Fatma Betul Sayan Kaya, foi declarada pelas autoridades holandesas um "estrangeiro indesejável" e detida pela polícia, informou a mídia local.

Mevlut Cavusoglu, ex-chanceler turco - Sputnik Brasil
Crise diplomática: Turquia ameaça Holanda após proibição de viagem de chanceler
A ministra teria recebido uma escolta da polícia de volta à fronteira alemã. No sábado, a entrada de Kaya no consulado turco em Roterdã foi negada.

"Eu irei para o edifício do consulado, que é um edifício pertencente ao meu país e eu sou uma ministra daquele país. Não há tal prática internacional. Eu não aceito essa decisão, eu rejeitá-lo e não vou voltar para a Alemanha", disse a ministra citada pelo jornal Saily Sabah antes de ser detida pela polícia de Roterdã.

Autoridades holandesas e alemãs cancelaram as suas reuniões de campanha que viriam à frente do referendo turco sobre mudanças constitucionais.

De acordo com o jornal Daily Sabah, as reuniões de Kaya nas cidades holandesas de Hengelo, Enschede e Wehl, bem como a cidade alemã de Colônia foram canceladas devido a "razões de segurança".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала