Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Em meio a onda de ataques, Paquistão anuncia rápida abertura de fronteira com Afeganistão

© AFP 2021 / Qazi RAUF AFRIDISoldado paquistanês em guarda enquanto caminhão entra no Paquistão vindo do Afeganistão, na passagem de fronteira de Torkham
Soldado paquistanês em guarda enquanto caminhão entra no Paquistão vindo do Afeganistão, na passagem de fronteira de Torkham - Sputnik Brasil
Nos siga no
O Paquistão anunciou nesta segunda-feira (6) que abrirá sua fronteira com o Afeganistão por dois dias para permitir a saída de afegãos com vistos válidos, depois de ter fechado as passagens fronteiriças alegando que o país vizinho abrigava militantes responsáveis por uma série de ataques recentes.

As relações entre os dois países estão tensas, com um acusando o outro de fazer pouco para impedir a operação de combatentes talibãs e outros militantes extremistas em seus territórios.

O Paquistão culpou os ataques do mês passado, em que mais de 130 pessoas foram mortas, a militantes paquistaneses refugiados no Afeganistão. Cabul nega as acusações.

Em resposta, Islamabad fechou os cruzamentos de fronteira e pediu ao governo afegão que entregasse os militantes que supostamente estariam escondidos no lado afegão.

"A fim de proporcionar uma oportunidade para os nacionais do Afeganistão que tinham vindo ao Paquistão com vistos válidos e que desejam retornar ao seu país, o governo do Paquistão decidiu abrir os cruzamentos de fronteira em Torkham e Chaman nos dias 7 e 8 de março de 2017", informou a chancelaria paquistanesa em comunicado.

Militantes do Talibã - Sputnik Brasil
Mais de 40 mortos em ataque do Talibã no sul do Afeganistão
A fronteira também será aberta para que os paquistaneses que viajaram para o Afeganistão com vistos válidos possam retornar.

No mais recente dos ataques registrados na região, o exército paquistanês disse nesta segunda-feira que 5 soldados paquistaneses foram mortos em ataques a postos de controle fronteiriços no noroeste do país, supostamente perpetrados por militantes refugiados no Afeganistão.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала