Milícias pró-governo no Iraque despejam 125 famílias de supostos afiliados do Daesh

© REUTERS / Stringer Forças de Mobilização Populares (PMF) durante ofensiva contra militantes do Daesh, a oeste de Mosul, Iraque 22 de fevereiro de 2017
Forças de Mobilização Populares (PMF) durante ofensiva contra militantes do Daesh, a oeste de Mosul, Iraque 22 de fevereiro de 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Milícias leais ao governo iraquiano que participam da libertação de Mossul estão deslocando famílias inteiras de parentes de militantes do Daesh (proibido na Rússia), denunciou a Human Rights Watch (HRW).

"Essas famílias, acusadas de atos ilícitos por associação, são em muitos casos vítimas de abusos do Daesh e devem ser protegidas por forças governamentais, não direcionadas para represálias", disse o diretor do HRW para o Oriente Médio, Lama Fakih, em comunicado.

O representante entrevistou uma série de pessoas deslocadas para um campo de refugiados perto de Tikrit em fevereiro, descobrindo que 125 famílias foram deslocadas pelas milícias das Forças de Mobilização Populares (PMF) de uma área da província de Saladin no final de 2016 após um decreto local ordenando a expulsão de afiliados do Daesh. A maioria dessas famílias negou ter parentes no Daesh ou disse que estes eram membros distantes.

"O Parlamento iraquiano deve emitir um decreto pedindo aos conselhos locais que governem  para rescindir os decretos e para que as forças armadas cessem os deslocamentos forçados, reiterando a ilegalidade desse procedimento", pediu a HRW, acrescentando que é necessário uma ação rápida antes que a prática se espalhe por todo o país.

Futuro presidente filipino, Rodrigo Duterte, durante sua campanha eleitoral em Manila, Filipinas, May 7, 2016. - Sputnik Brasil
Presidente das Filipinas pode ter parentes ligados com Daesh
A destruição de propriedades pertencentes às chamadas "famílias do Daesh", bem como detenções e espancamentos também foram observadas.

Organizações de direitos humanos pediram repetidamente ao governo iraquiano que aplique a lei a milícias dominadas por xiitas que participam da operação anti-terrorismo no norte principalmente sunita do país. As afiliadas da PMF foram acusadas de participar de assassinatos, tortura e destruição de infra-estruturas contra civis sunitas sem qualquer esforço por parte do governo para punir ou investigar os abusos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала