Gazprom: Gasoduto Corrente do Norte 2 está em perigo político

© AP Photo / Marko DrobnjakovicConstrução de gasoduto
Construção de gasoduto - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O projeto de gasoduto Corrente do Norte 2 (Nord Stream 2) cumpre os requisitos da União Europeia e a sua realização só pode ser minada por razões políticas.

Membro da equipe construtora do projeto Nord Stream - Sputnik Brasil
Financial Times: Nord Stream 2 visa punir a Ucrânia
A respectiva declaração foi feita nesta terça-feira (28) durante o encontro com gerentes por Aleksandr Medvedev, vice-presidente da estatal russa Gazprom.

O projeto do gasoduto poderá transportar 55 bilhões de metros cúbicos de gás natural aos países europeus, trazendo o gás através do fundo do mar Báltico até à Alemanha. O projeto foi desenvolvido visando evitar levar o gás russo pelo território da Ucrânia. O lançamento do gasoduto está previsto para 2018.

"O projeto segue o esquema tecnológico do Corrente do Norte e todos os requisitos deste e eu não vejo nenhuma razão pela qual nós possamos acabar em impasse, além de razões políticas", disse Medvedev aos jornalistas.

Construção do gasoduto Nord Stream - Sputnik Brasil
Estará a União Europeia disposta a reavaliar projeto do Nord Stream 2?
Em setembro de 2015, a Gazprom assinou um acordo com as cinco maiores empresas energéticas europeias, entre as quais a Royal Dutch Shell e a E.ON, sobre a sua participação do projeto de construção de mais duas linhas do gasoduto submarino através do mar Báltico.

Em 4 de fevereiro, o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov disse que a construção do gasoduto aumentará a segurança energética da Europa. 

© Foto / downloads-free.ga Corrente do Norte 2
Corrente do Norte 2 - Sputnik Brasil
Corrente do Norte 2
A Alemanha está interessada no projeto, com vários políticos, inclusive a chanceler Angela Merkel a acreditarem que o gasoduto vai permitir evitar os riscos de trânsito que Europa enfrentou em 2006 e 2009 durante as disputas entre a Rússia e a Ucrânia.

Mas alguns membros da UE, como a Polônia e a República Tcheca, temem que o Nord Stream 2 aumente a sua dependência energética da Rússia.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала