Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

São dois os países que podem 'sepultar' a União Europeia

© REUTERS / YVES HERMANBandeiras dos países da UE exibidas no Palácio de Bratislava, Eslováquia, durante a cúpula da União Europeia, 16 de setembro de 2016
Bandeiras dos países da UE exibidas no Palácio de Bratislava, Eslováquia, durante a cúpula da União Europeia, 16 de setembro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga no
A União Europeia precisa de mudanças estruturais radicais devido à ação crescente dos movimentos populistas de direita e também por causa da arrogância de alguns países-membros do bloco, escreve a edição austríaca Die Presse.

Tropas da Lituânia ao lado de outras forças de 11 países da OTAN, 2 de dezembro de 2016 - Sputnik Brasil
'Dissolução oportuna da OTAN poderia ter virado uma das maiores contribuições para a paz'
Bruxelas não está pronta para realizar estas reformas, pois quem decide é a "velha guarda" e a geração mais jovem não tem direito de votar, frisa o autor do artigo. Porém, apesar da crítica justificada em relação às "autoridades indolentes da União Europeia", o problema real é outro. Alguns países da UE representam um perigo verdadeiro para o futuro da união.

"No caso da União Europeia, o peixe apodrece não pela cabeça, como diz o provérbio popular, mas, neste caso, por algumas capitais europeias", opina o autor. De acordo com ele, a integração do bloco europeu está em perigo por causa da Hungria e da Polônia, entre outros.

"Se Viktor Orban [premiê húngaro] afirma que seu país está sob ataques por parte da UE e a Polônia ignora de modo permanente e deliberado as críticas de Bruxelas, isto significa que estes países podem se tornar verdadeiros coveiros da ideia europeia", escreve Gerhard Bitzan no seu artigo para o Die Presse.

Segundo a opinião do jornalista, na Europa está em crescimento a "mesquinhez nacionalista" porque a cada dia os países da união pensam mais na sua própria prosperidade, quer política, quer econômica.

Sistema da defesa antimíssil THAAD - Sputnik Brasil
Chancelaria: Rússia está disposta a responder a uma possível escalada na Europa
Uma solução para a UE são reformas radicais, por exemplo, a sua divisão em duas partes. O autor propõe criar uma Europa com "a duas velocidades de desenvolvimento": dividi-la entre os que aspiram à unidade europeia e os que não querem colaborar. O segundo grupo continuaria fazendo parte da UE, mas com menos direitos e obrigações. Não se especifica no artigo qual dos dois grupos vai se desenvolver mais rápido.

Segundo o jornalista austríaco, este plano permitirá criar uma nova União Europeia. É pouco provável que esta ideia seja realizada, considera Gerhard Bitzan, mas a alternativa a esta ideia será trágica.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала