Trump quebra tradição de jantar com imprensa e desafia mídia com números da dívida dos EUA

Presidente dos EUA, Donald Trump, conversa por telefone com a primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, na Sala Oval da Casa Branca
Presidente dos EUA, Donald Trump, conversa por telefone com a primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, na Sala Oval da Casa Branca - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou neste sábado (25), em novo desafio à mídia norte-americana, que durante o primeiro mês de sua presidência a dívida estatal do país diminuiu em 12 bilhões de dólares.

"A mídia não relatou que a dívida do Estado durante meu primeiro mês (de presidência) diminuiu em 12 bilhões de dólares, em comparação com o aumento de 200 bilhões de dólares durante o primeiro mês de presidência de (Barack) Obama", disse Trump, em sua conta no Twitter.

Representantes da mídia dos EUA perto do Capitólio na época de preparativos para cerimônia da posse de Donald Trump, 20 de janeiro de 2017 - Sputnik Brasil
'Piada': Oposição de Trump contra CNN e NYT continua
De acordo com dados publicados no site do Ministério das Finanças dos EUA, em 20 de janeiro de 2017, quando Trump assumiu o cargo, a dívida do governo norte-americano era de 19,947 trilhões.

Um mês mais tarde, a cifra caiu para 19,935 trilhões de dólares.

Também neste sábado, Trump anunciou no Twitter que não compareceria ao jantar anual oferecido aos jornalistas correspondentes da Casa Branca, que este ano será em 29 de abril.

​O evento, cujo objetivo é aproximar os profissionais da imprensa que cobrem as atividades presidenciais, por um lado, e os funcionários da Administração, de outro, tradicionalmente conta com a presença do presidente em exercício. 

O anúncio acirra o clima de guerra entre Trump e parte da mídia norte-americana, cujas relações estão cada vez mais tensas, após a Casa Branca ter barrado alguns veículos de comunicação em suas coletivas de imprensa, entre eles, CNN, New Tork Times, Politico, BuzzFeed e Los Angeles Times.

O presidente tem feito críticas públicas à grande mídia norte-americana, afirmando que alguns veículos são "inimigos do povo" e "divulgadores de notícias falsas".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала