Reino Unido acusa Sputnik e RT de divulgar informação enganosa sobre Síria e Ucrânia

© AFP 2022 / Stefan RousseauSecretário da Defesa da Grã-Bretanha, Michael Fallon, espera fora do Ministério das Relações Exteriores antes de uma cúpula com as principais nações da coalizão contra o Estado Islâmico, 15 de dezembro de 2016, em Londres.
Secretário da Defesa da Grã-Bretanha, Michael Fallon, espera fora do Ministério das Relações Exteriores antes de uma cúpula com as principais nações da coalizão contra o Estado Islâmico, 15 de dezembro de 2016, em Londres. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Secretário da Defesa britânico, Michael Fallon, diz que Sputnik e emissora RT precisam ser "chamadas à atenção" por suas reportagens enganosas.

Fallon afirmou que estas mídias espalham informações enganosas ou não devidamente imparciais sobre a Síria e a Ucrânia.

"Precisamos chamar à atenção os mensageiros como a RT e a Sputnik. Em 2015, o Ofcom [UK Office of Communications] sancionou a RT por divulgar conteúdo "materialmente enganoso ou não devidamente imparcial" sobre a Síria e a Ucrânia. É mais do que irónico que um desses programas era chamado de 'Truthseeker' [buscador de verdade]", disse Fallon na quinta-feira (2).

Russia Today logo - Sputnik Brasil
Editora-chefe da Sputnik e RT: 'Estamos sendo ameaçados e isso nos preocupa'
Em 16 de novembro, o Parlamento Europeu votou a favor de uma resolução de atuação contra a mídia russa. A resolução do Parlamento da UE dizia que a Sputnik e a RT representavam um perigo para a unidade europeia e pediram financiamento adicional da Comissão Europeia para projetos de contrapropaganda. Ele também traçou um paralelo entre a mídia russa e a propaganda disseminada pelo Daesh, grupo jihadista proibido na Rússia e em vários outros países.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала